Latuff e a ameaça que paira sobre as eleições de 2018

De volta ao 247, o cartunista Latuff aborda a ameaça que paira sobre as eleições presidenciais de 2018, depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou instalar uma comissão para analisar a proposta de emenda constitucional que prevê eleições simultâneas para todos os cargos majoritários

De volta ao 247, o cartunista Latuff aborda a ameaça que paira sobre as eleições presidenciais de 2018, depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou instalar uma comissão para analisar a proposta de emenda constitucional que prevê eleições simultâneas para todos os cargos majoritários
De volta ao 247, o cartunista Latuff aborda a ameaça que paira sobre as eleições presidenciais de 2018, depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou instalar uma comissão para analisar a proposta de emenda constitucional que prevê eleições simultâneas para todos os cargos majoritários (Foto: Felipe L. Goncalves)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – De volta ao 247, o cartunista Latuff aborda a ameaça que paira sobre as eleições presidenciais de 2018, depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou instalar uma comissão para analisar a proposta de emenda constitucional que prevê eleições simultâneas para todos os cargos majoritários.

Abaixo, reportagem a respeito:

247 – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mandou instalar, na tarde desta quinta-feira, uma comissão especial para analisar uma proposta de emenda constitucional, apresentada pelo deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), que estabelece a simultaneidade nas eleições para todos os cargos majoritários.

Com isso, abre-se o caminho para a anulação das eleições presidenciais de 2018 e a disputa poderia ocorrer apenas em 2020, quando haverá eleição para as prefeituras. "Pode ser o golpe dentro do golpe", diz o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), que vê risco de cancelamento da disputa presidencial (saiba mais aqui). Seu colega Vicente Cândido (PT-SP) discorda e afirma que não há esse risco. "Apresentaremos um substitutivo que institui, entre outras medidas, a descoincidência das eleições a partir de 2022 (em anos separados para executivo e legislativo), fim dos cargos de vice, mandato de dez anos para representantes das Côrtes e adoção do sistema distrital misto nas eleições a partir de 2026", diz ele (leia aqui).

No último domingo, o Datafolha revelou que o ex-presidente Lula lidera em todos os cenários, com 29% a 31% das intenções de voto, e que 85% dos brasileiros exigem a saída imediata de Michel Temer e a convocação de diretas já.

No entanto, o eventual adiamento das eleições ajudaria a direita, que já derrubou a presidente Dilma Rousseff por meio de um golpe parlamentar, a tentar inabilitar Lula no tapetão.

Esta proposta de emenda constitucional estava parada desde 2003, mas acaba de ganhar tramitação urgente na Câmara, segundo aponta o deputado Pimenta. Em suas falas posteriores ao golpe, a presidente deposta Dilma Rousseff sempre alertou para o risco de anulação das eleições de 2018.

Confira, abaixo, o documento:

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247