Lava Jato investiga o presidente do STJ

O ministro Francisco Falcão é a autoridade mais alta do Poder Judiciário investigada na Operação Lava Jato; o motivo é uma offshore mantida pela família no exterior, a LLC Areia Branca; em nome dela, estão imóveis no exterior, alguns com valores acima de US$ 3 milhões; a investigação surgiu a partir da delação de Delcídio Amaral e está nas mãos do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal; Falcão confirma a existência da offshore, mas diz que pertence a seu filho; "Não existe nada disso. Meu pai nunca teve conta no exterior. Meu filho, sim, mas está tudo declarado no Imposto de Renda dele. Não tenho nada com essa offshore. Podem procurar, não vão encontrar nada errado. Não perco um minuto de sono com isso. Vou dormir tranquilo"

O ministro Francisco Falcão é a autoridade mais alta do Poder Judiciário investigada na Operação Lava Jato; o motivo é uma offshore mantida pela família no exterior, a LLC Areia Branca; em nome dela, estão imóveis no exterior, alguns com valores acima de US$ 3 milhões; a investigação surgiu a partir da delação de Delcídio Amaral e está nas mãos do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal; Falcão confirma a existência da offshore, mas diz que pertence a seu filho; "Não existe nada disso. Meu pai nunca teve conta no exterior. Meu filho, sim, mas está tudo declarado no Imposto de Renda dele. Não tenho nada com essa offshore. Podem procurar, não vão encontrar nada errado. Não perco um minuto de sono com isso. Vou dormir tranquilo"
O ministro Francisco Falcão é a autoridade mais alta do Poder Judiciário investigada na Operação Lava Jato; o motivo é uma offshore mantida pela família no exterior, a LLC Areia Branca; em nome dela, estão imóveis no exterior, alguns com valores acima de US$ 3 milhões; a investigação surgiu a partir da delação de Delcídio Amaral e está nas mãos do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal; Falcão confirma a existência da offshore, mas diz que pertence a seu filho; "Não existe nada disso. Meu pai nunca teve conta no exterior. Meu filho, sim, mas está tudo declarado no Imposto de Renda dele. Não tenho nada com essa offshore. Podem procurar, não vão encontrar nada errado. Não perco um minuto de sono com isso. Vou dormir tranquilo" (Foto: Leonardo Attuch)

Brasília 247 – A Operação Lava Jato, que já fez estragos nos poderes Executivo e Legislativo, pode chegar em breve ao Judiciário, atingindo o presidente da segunda mais alta corte do País.

Trata-se do ministro Francisco Falcão, presidente do STJ, que é alvo de investigação que repousa na mesa de Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, segundo informa o jornalista Lauro Jardim, em sua coluna.

O motivo da investigação é uma offshore mantida pela família no exterior, a LLC Areia Branca, que teria sido aberta pelo pai do ministro.

Em nome dela, estão imóveis no exterior, alguns com valores acima de US$ 3 milhões.

A investigação surgiu a partir da delação de Delcídio Amaral, que mencionou ainda a ligação do ministro Falcão com a Odebrecht.

Falcão confirma a existência da offshore, mas diz que pertence a seu filho. "Não existe nada disso. Meu pai nunca teve conta no exterior. Meu filho, sim, mas está tudo declarado no Imposto de Renda dele. Não tenho nada com essa offshore. Podem procurar, não vão encontrar nada errado. Não perco um minuto de sono com isso. Vou dormir tranquilo."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247