Maia oficializa candidatura a presidente da Câmara

Após a liberação pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), registrou sua candidatura à reeleição; segundo ele, o objetivo é chegar em 2018 com um Legislativo "que garanta as reformas, que responda aos anseios de milhões de brasileiros desempregados e endividados"; o bloco de apoio ao seu nome reúne mais de 300 deputados

Após a liberação pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), registrou sua candidatura à reeleição; segundo ele, o objetivo é chegar em 2018 com um Legislativo "que garanta as reformas, que responda aos anseios de milhões de brasileiros desempregados e endividados"; o bloco de apoio ao seu nome reúne mais de 300 deputados
Após a liberação pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, o atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), registrou sua candidatura à reeleição; segundo ele, o objetivo é chegar em 2018 com um Legislativo "que garanta as reformas, que responda aos anseios de milhões de brasileiros desempregados e endividados"; o bloco de apoio ao seu nome reúne mais de 300 deputados (Foto: Gisele Federicce)

Por Luiz Gustavo Xavier, da Agência Câmara - Rodrigo Maia foi o sexto deputado a registrar sua candidatura à Presidência da Câmara, na noite desta quarta-feira (1º). Segundo ele, o objetivo é chegar em 2018 com um Legislativo "que garanta as reformas, que responda aos anseios de milhões de brasileiros desempregados e endividados."

Maia defendeu a harmonia e independência entre os poderes e lamentou a judicialização de questões que, para ele, são internas da Casa.

Antes do registro, o ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello negou liminar impetrada pelos candidatos Jovair Arantes (PTB-GO), André Figueiredo (PDT-CE) e Júlio Delgado (PSB-MG) que questionava a constitucionalidade da candidatura de Maia. Na decisão, o ministro afirmou que se tratava de uma questão interna corporis.

"Sempre tivemos a clareza da possibilidade da candidatura, sempre entendemos que era uma questão interna da Casa. Acho que, mesmo sendo uma decisão positiva, não foi o melhor caminho da Câmara, mas sempre procurei construir uma candidatura discutindo o Brasil", destacou Rodrigo Maia.

Ele defendeu ainda que os acordos partidários feitos na reunião de líderes para a ocupação das vagas na Mesa Diretora sejam respeitados.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247