Maia retira cargos de aliados de Arthur Lira na Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), exonerou servidores em cargos comissionados indicados por parlamentares do bloco de Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente na eleição para o comando da Casa

(Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), exonerou servidores em cargos comissionados indicados por parlamentares do bloco de Arthur Lira (PP-AL), candidato a presidente na eleição para o comando da Casa que deve ocorrer no início de fevereiro. Aliado de Maia, Baleia Rossi (MDB-SP) também vai concorrer.

Existem atualmente cerca de 1.700 cargos de natureza especial (CNE) distribuídos entre ocupantes da Mesa Diretora e partidos políticos. Parlamentares afirmaram que, dessa quantia, o presidente tem direito a cerca de 200 cargos de livre nomeação, que às vezes cede a aliados, de acordo com informações publicadas pelo jornal O Globo.

"Todo dia tem dezenas de mudanças em toda a estrutura de cargos da Câmara", disse Maia. "Da mesma forma que os líderes têm cargo, a Presidência tem também e pode mudar, não necessariamente tem relação com nada", complementou.

No grupo de Baleia estão as duas maiores bancadas: o PT, com 52 parlamentares, e o PSL, com 53. Partidos de centro, centro-direita e de esquerda completam a lista: PSB, PCdoB, PDT, MDB, PSDB, DEM, PV, Cidadania e Rede. São 11 legendas com 278 deputados. 

O bloco de Lira tem 195 parlamentares e forte presença do centrão. As maiores bancadas são as do PL, com 43 deputados, e do PP, com 40.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247