Manifestantes ocupam prédios contra reformas do governo Temer

Trabalhadores ligados a movimentos campesinos ocuparam prédios dos antigos ministérios da Previdência Social e do Desenvolvimento Agrário em protesto contra a reforma ministerial do presidente interino Michel Temer, que extinguiu as pastas; manifestantes ligados à Contag e à Fetag também protestam contra a proposta de reforma previdenciária; segundo a Contag, 10 mil pessoas participam de atos em agências e postos do INSS em diversas cidades

Trabalhadores ligados a movimentos campesinos ocuparam prédios dos antigos ministérios da Previdência Social e do Desenvolvimento Agrário em protesto contra a reforma ministerial do presidente interino Michel Temer, que extinguiu as pastas; manifestantes ligados à Contag e à Fetag também protestam contra a proposta de reforma previdenciária; segundo a Contag, 10 mil pessoas participam de atos em agências e postos do INSS em diversas cidades
Trabalhadores ligados a movimentos campesinos ocuparam prédios dos antigos ministérios da Previdência Social e do Desenvolvimento Agrário em protesto contra a reforma ministerial do presidente interino Michel Temer, que extinguiu as pastas; manifestantes ligados à Contag e à Fetag também protestam contra a proposta de reforma previdenciária; segundo a Contag, 10 mil pessoas participam de atos em agências e postos do INSS em diversas cidades (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Trabalhadores ligados a movimentos do setor agrícola ocuparam os prédios dos antigos ministérios da Previdência Social e do Desenvolvimento Agrário em protesto contra a reforma ministerial do governo do presidente interino Michel Temer.

Manifestantes ligados à Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag) e à Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag) são contrários à extinção das pastas e contra a proposta de uma reforma previdenciária que prevê mudanças para os profissionais que já atuam no mercado de trabalho.

Segundo a Contag, 10 mil pessoas participam da ocupação dos ministérios. Protestos também estão sendo feitos em agências e postos do INSS em diversas cidades de todo o país nesta quinta-feira 16.

No começo do mês, Temer foi pressionado pelos movimentos ligados ao campo para rever a extinção dos ministérios. O peemedebista disse que este assunto poderia ser discutido após o afastamento definitivo da presidente eleita Dilma Rousseff.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247