Mello especula sobre renúncia de Dilma, Temer e Cunha

"Falo isso como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes", disse o ministro Marco Aurélio Mello, do STF; para ele, "o mal maior, a crise econômica," está sendo deixado "em segundo plano" por "interesses políticos"

"Falo isso como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes", disse o ministro Marco Aurélio Mello, do STF; para ele, "o mal maior, a crise econômica," está sendo deixado "em segundo plano" por "interesses políticos"
"Falo isso como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes", disse o ministro Marco Aurélio Mello, do STF; para ele, "o mal maior, a crise econômica," está sendo deixado "em segundo plano" por "interesses políticos" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Marco Aurélio Mello, do STF, defende a "renúncia coletiva" da presidente Dilma Rousseff, do seu vice Michel Temer e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. É o que afirma a colunista Natuza Nery.

"Falo isso como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes", diz ele. Para o ministro, "o mal maior, a crise econômica," está sendo deixado "em segundo plano" por "interesses políticos".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email