Mico no DF: sindicalista que prometia denúncias agora esconde o jogo

A sindicalista Marli Rodrigues, que prometeu um depoimento revelador na CPI da Saúde, disse aos deputados que não dará detalhes sobre o suposto esquema de propina na saúde para não atrapalhar as investigações do Ministério Público; ela afirmou que poderia mostrar aos parlamentares problemas graves no sistema público; os deputados Cristiano Araújo (PSD) e Roberio Negreiros (PSDB), que teriam sido citados em conversa gravada por Marli com um interlocutor, negaram envolvimento

A sindicalista Marli Rodrigues, que prometeu um depoimento revelador na CPI da Saúde, disse aos deputados que não dará detalhes sobre o suposto esquema de propina na saúde para não atrapalhar as investigações do Ministério Público; ela afirmou que poderia mostrar aos parlamentares problemas graves no sistema público; os deputados Cristiano Araújo (PSD) e Roberio Negreiros (PSDB), que teriam sido citados em conversa gravada por Marli com um interlocutor, negaram envolvimento
A sindicalista Marli Rodrigues, que prometeu um depoimento revelador na CPI da Saúde, disse aos deputados que não dará detalhes sobre o suposto esquema de propina na saúde para não atrapalhar as investigações do Ministério Público; ela afirmou que poderia mostrar aos parlamentares problemas graves no sistema público; os deputados Cristiano Araújo (PSD) e Roberio Negreiros (PSDB), que teriam sido citados em conversa gravada por Marli com um interlocutor, negaram envolvimento (Foto: Valter Lima)

247 - A sindicalista Marli Rodrigues, que prometeu um depoimento revelador na CPI da Saúde, disse aos deputados que não dará detalhes sobre o suposto esquema de propina na saúde para não atrapalhar as investigações do Ministério Público. A presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde afirmou que poderia mostrar aos parlamentares problemas graves no sistema público. 

Antes do início do depoimento da sindicalista, deputados criticaram a decisão do governo de recorrer ao Judiciário para a realização de um a sessão aberta na CPI da Saúde. O GDF conseguiu uma liminar determinando que a oitava fosse pública. A sindicalista chegou à Câmara Legislativa pouco depois das 10h prometendo fazer revelações sobre um suposto esquema de cobrança de propina no Executivo.

 Antes do depoimento de Marli, deputados da comissão falaram sobre o recurso do GDF à Justiça pedindo a realização de sessão aberta. O líder do PT, Wasny de Roure, classificou a medida como “interferência indevida”. 

Os deputados Cristiano Araújo (PSD) e Roberio Negreiros (PSDB), que teriam sido citados em conversa gravada por Marli com um interlocutor, falaram sobre o caso. “Não tenho nenhum interesse na área da saúde e não dei procuração para ninguém falar em meu nome”, disse Roberio. “As únicas vezes em que estive na Secretaria de Saúde foi para tratar de assuntos de interesse dos servidores, de forma republicana”, afirmou Cristiano.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247