Ministro da Educação foi contra união de casais homoafetivos após reconhecimento pelo STF

Ministro da Educação, o pastor presbiteriano Milton Ribeiro condenou a união homoafetiva após o reconhecimento, em 2011, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da união estável para casais do mesmo sexo

(Brasília - DF, 16/07/2020) Solenidade de Posse do senhor Milton Ribeiro, Ministro de Estado da Educação (videoconferência).
(Brasília - DF, 16/07/2020) Solenidade de Posse do senhor Milton Ribeiro, Ministro de Estado da Educação (videoconferência). (Foto: Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O atual ministro da Educação, o pastor presbiteriano Milton Ribeiro, condenou a união homoafetiva após o reconhecimento, em 2011, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da união estável para casais do mesmo sexo, informa reportagem da Veja. Em julho do mesmo ano, o pastor participou de um programa de debates nas redes sociais onde afirmou:

“Nós cremos na Bíblia, então nosso pressuposto é a Bíblia. Nós acreditamos que a Bíblia é a palavra de Deus e essa condição de reprovar o homossexualismo é uma condição estabelecida na palavra, nas escrituras, porque a Bíblia chama o homossexualismo de pecado”, disse o pastor Milton Ribeiro, ao ser perguntado sobre a união homoafetiva.

O ministro já disse que “criança tem que sentir dor para aprender” e que as universidades “ensinam sexo sem limites”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247