Ministro da Saúde é vaiado em conferência de saúde da mulher

O engenheiro Ricardo Barros, ministro da Saúde do governo de Michel Temer, foi alvo de intensa vaia e manifestações nessa quinta-feira, 17, durante sua participação na Conferência Nacional de Saúde da Mulher, em Brasília; enquanto falava, boa parte da plateia ficou de costas, vaiando e gritando palavras de ordem; Barros foi embora em seguida

O engenheiro Ricardo Barros, ministro da Saúde do governo de Michel Temer, foi alvo de intensa vaia e manifestações nessa quinta-feira, 17, durante sua participação na Conferência Nacional de Saúde da Mulher, em Brasília; enquanto falava, boa parte da plateia ficou de costas, vaiando e gritando palavras de ordem; Barros foi embora em seguida
O engenheiro Ricardo Barros, ministro da Saúde do governo de Michel Temer, foi alvo de intensa vaia e manifestações nessa quinta-feira, 17, durante sua participação na Conferência Nacional de Saúde da Mulher, em Brasília; enquanto falava, boa parte da plateia ficou de costas, vaiando e gritando palavras de ordem; Barros foi embora em seguida (Foto: Aquiles Lins)

Do Viomundo - Convocada pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS), vai até domingo (20/08), em Brasília, a 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres.

O engenheiro Ricardo Barros, ministro da Saúde do governo golpista, foi à abertura, nessa quinta-feira, onde foi vaiado o tempo inteiro, como mostram os dois vídeos acima.

No primeiro, logo na chegada. Depois, enquanto discursou. Neste momento, boa parte da plateia ficou de costas, vaiando e gritando palavras de ordem. Ele foi embora em seguida.

Esta conferência acontece 30 anós após a  primeira Conferência Nacional de Saúde e Direitos da Mulher, em 1986.

Com o tema central “Saúde das mulheres: Desafios para a integralidade com equidade”, terá como objetivo propor diretrizes para a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres.

Assim, o eixo principal será a implementação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Mulheres e as políticas de equidade das populações:

* negra (racismo, desigualdades étnico-raciais e racismo institucional);

* LGBT (discriminação por orientação sexual e identidade de gênero/preconceito e estigma social),

* em situação de Rua (reconhecimento dessas pessoas como cidadãos de direitos),

* do campo, da floresta e das águas (redução de riscos decorrentes dos processos de trabalho e das tecnologias agrícolas).

A expectativa do CNS é que esta Conferência seja a efetivação do Controle Social no SUS para a saúde das mulheres.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247