MP quer trancafiar Dirceu num presídio federal

Ministério Público do Distrito Federal pede à Justiça que ex-ministro José Dirceu e demais condenados na Ação Penal 470 sejam transferidos para presídios federais; promotoras responsáveis pelo caso consideraram não ter sido satisfatória resposta do governo do DF sobre supostas regalias concedidas aos condenados no sistema prisional da capital federal; MP fala em visitas fora dos dias previstos e alimentação diferenciada; decisão será tomada pelo juiz Bruno Ribeiro, que conta com uma reportagem de Veja, em off e fruto de um crime, sobre supostas regalias; detalhe: Dirceu está condenado ao semiaberto e já deveria ter tido seu pedido de trabalho externo avaliado

***FOTO EMBARGADA PARA VEÍCULOS DE RS E SC*** PORTO ALEGRE, RS. 15.12.2012: PT/DIRCEU - O ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu partcipou de evento do Partido dos Trabalhadores na manhã deste sábado no salão da igreja Pompeia, em Porto Alegre. Ovaci
***FOTO EMBARGADA PARA VEÍCULOS DE RS E SC*** PORTO ALEGRE, RS. 15.12.2012: PT/DIRCEU - O ex-ministro chefe da Casa Civil José Dirceu partcipou de evento do Partido dos Trabalhadores na manhã deste sábado no salão da igreja Pompeia, em Porto Alegre. Ovaci (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Distrito Federal pediu na sexta-feira (14) à Justiça que os condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão, sejam transferidos para presídios federais. As promotoras consideraram não ter sido satisfatória a resposta do governo do Distrito Federal sobre supostas regalias concedidas aos condenados no sistema prisional da capital federal. Pedido é feito na mesma semana em que a revista Veja publica reportagem sobre supostos favorecimentos ao ex-ministro José Dirceu na prisão.

Em uma primeira manifestação sobre o caso, em fevereiro, o MP afirmou que os supostos privilégios aos presos do mensalão representavam uma situação que feria "frontalmente o princípio constitucional da isonomia" e o funcionamento do sistema prisional pela instabilidade gerada no local. Entre outras coisas, as promotoras listavam visitas fora dos dias previstos e alimentação diferenciada.

Na ocasião, o Ministério Público pedia o fim das regalias e, caso isso não ocorresse, que os presos fossem transferidos. A Justiça então pediu para o governador do DF, Agnelo Queiroz (PT), para responder em 48 horas se já havia iniciado uma investigação interna para apurar o caso. Na resposta, Agnelo afirmou que o juiz da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, Bruno Ribeiro, fez afirmações falsas "sem qualquer indício da prática de atos ilegais e ilegítimos" e sugeriu que a conduta do juiz fosse apurada. Com isso, o Ministério pede agora diretamente que os presos sejam transferidos para presídios federais. A manifestação foi enviada à Defensoria Pública na própria sexta-feira.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email