MST ocupa sede nacional do Incra, em Brasília

O MST ocupa a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Brasília-DF; cerca de 800 militantes do Distrito Federal, Minas Gerais e Goiás reivindicam uma agenda com o presidente nacional  do Incra e dos governos dos estados e DF em torno dos temas dos assentamentos e acampamentos  

O MST ocupa a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Brasília-DF; cerca de 800 militantes do Distrito Federal, Minas Gerais e Goiás reivindicam uma agenda com o presidente nacional  do Incra e dos governos dos estados e DF em torno dos temas dos assentamentos e acampamentos
 
O MST ocupa a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Brasília-DF; cerca de 800 militantes do Distrito Federal, Minas Gerais e Goiás reivindicam uma agenda com o presidente nacional  do Incra e dos governos dos estados e DF em torno dos temas dos assentamentos e acampamentos   (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocupa, nesta terça-feira (18), a sede nacional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), em Brasília-DF. Cerca de 800 militantes do Distrito Federal, Minas Gerais e Goiás reivindicam uma agenda com o presidente nacional  do Incra e dos governos dos estados e DF em torno dos temas dos assentamentos e acampamentos.
 
De acordo com Lucimar Nascimento, integrante da coordenação nacional do MST, "é importante ocupar este espaço porque ter diálogo  apenas não basta". "Queremos a pauta, a efetivação dos assentamentos das famílias  nos acampamentos, com a estrutura necessária como escola, postos de saúde, lazer, a vida digna no acampamento", afirmou.     
 
Após diálogo inicial com gabinete da presidência do Incra, militantes permanecem ocupando a sede nacional do Incra. Membro da coordenação nacional, Marco Barrato, "só  vamos desocupar o Incra após reunião com representantes da Casa Civil, Incra e Secretaria do Desenvolvimento Agrária". "Essa ocupação dialoga com todas as outras ações pela Jornada Nacional pela Reforma Agrária pelo Brasil. Nenhum passo atrás", acrescentou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247.Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247