Mulher registrou agressão por ‘desestabilidade emocional’, diz ministro do TSE

O ministro do TSE Admar Gonzaga enviou uma manifestação ao ministro do STF Celso de Mello para explicar as acusações de que teria agredido a mulher, Élida Souza Matos; "Não são fatos, mas a versão expressada por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes, e que havia degustado algumas taças de vinho a mais, sem o acompanhamento de adequada alimentação. Assim como agravante para a desestabilidade emocional, sucedeu-se a descoberta de doença autoimune, denominada esclerodermia, conforme já revelado em petição da própria requerente, muito atormentada pela exposição que estamos sofrendo", afirmou Admar

O ministro do TSE Admar Gonzaga enviou uma manifestação ao ministro do STF Celso de Mello para explicar as acusações de que teria agredido a mulher, Élida Souza Matos; "Não são fatos, mas a versão expressada por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes, e que havia degustado algumas taças de vinho a mais, sem o acompanhamento de adequada alimentação. Assim como agravante para a desestabilidade emocional, sucedeu-se a descoberta de doença autoimune, denominada esclerodermia, conforme já revelado em petição da própria requerente, muito atormentada pela exposição que estamos sofrendo", afirmou Admar
O ministro do TSE Admar Gonzaga enviou uma manifestação ao ministro do STF Celso de Mello para explicar as acusações de que teria agredido a mulher, Élida Souza Matos; "Não são fatos, mas a versão expressada por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes, e que havia degustado algumas taças de vinho a mais, sem o acompanhamento de adequada alimentação. Assim como agravante para a desestabilidade emocional, sucedeu-se a descoberta de doença autoimune, denominada esclerodermia, conforme já revelado em petição da própria requerente, muito atormentada pela exposição que estamos sofrendo", afirmou Admar (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga enviou uma manifestação ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello para explicar as acusações de que teria agredido a mulher, Élida Souza Matos. De acordo com Admar, a esposa havia recebido a notícia de uma doença, tomado vinho sem se alimentar e uma crise de ciúmes gerou a briga entre os dois.

"Não são fatos, mas a versão expressada por uma pessoa acometida de grave crise de ciúmes, e que havia degustado algumas taças de vinho a mais, sem o acompanhamento de adequada alimentação. Assim como agravante para a desestabilidade emocional, sucedeu-se a descoberta de doença autoimune, denominada esclerodermia, conforme já revelado em petição da própria requerente, muito atormentada pela exposição que estamos sofrendo", afirmou Admar.

Sobre o hematoma do olho de sua esposa, o ministro disse que ela escorregou em um enxaguante bucal e bateu o rosto na banheira. "Tal lesão, pelo que me recordo, foi causada pelo tombo que se sucedeu ao escorregão que sofreu sobre o Listerine, e que a levou a bater com o rosto na banheira, mas jamais em face do alegado empurrão em seu rosto", acrescentou.

Admar confirmou ter empurrado a mulher, mas para se defender. "O movimento não foi empregado como meio deliberado de agressão", disse. "(Foi) Em minha própria defesa, com o rosto virado em proteção aos meus olhos, ou seja, sem enxergar a minha esposa, que investia com suas unhas contra meu corpo, o que meu causou muitas feridas e me deixaram marcas permanentes".

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247