Na prisão, Dirceu estuda Direito Constitucional

Ex-ministro, que aguarda posicionamento do STF sobre pedido para trabalhar em um escritório de advocacia, divide seu tempo na Penitenciária da Papuda entre trabalho no setor de manutenção e estudos por correspondência; informação é do jornalista Fausto Macedo

BRASÍLIA, DF, 16.11.2013: DESEMBARQUE/CONDENADOS/MENSALÃO/DF - Condenados do mensalão, José Genoino, José Dirceu e mineiros, desembarcam no hangar da PF em Brasilia. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 16.11.2013: DESEMBARQUE/CONDENADOS/MENSALÃO/DF - Condenados do mensalão, José Genoino, José Dirceu e mineiros, desembarcam no hangar da PF em Brasilia. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress) (Foto: Gisele Federicce)

Brasília 247 – O ex-ministro José Dirceu, preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília, tem dividido seu tempo entre o trabalho no setor de manutenção do presídio e estudos por correspondência. Segundo o jornalista Fausto Macedo, enquanto aguarda permissão do Supremo Tribunal Federal (STF) para que possa trabalhar num escritório de advocacia, Dirceu se dedica aos estudos de Direito Constitucional.

José Dirceu já é advogado e cumpre pena em regime fechado – apesar de ter sido condenado ao semiaberto pelo Supremo, na Ação Penal 470. Por conta de sua pena, o petista tem direito a trabalhar fora da detenção. Mas para isso, precisa de autorização do presidente do STF, Joaquim Barbosa, que não deu previsão de quando avaliará seu pedido.

Depois de ter desistido de um emprego no Hotel Saint Peter, de Brasília, onde receberia um salário de R$ 20 mil para atuar como gerente administrativo, Dirceu aguarda agora autorização para trabalhar na biblioteca do escritório do advogado José Gerardo Grossi, que diz ser amigo do ex-ministro. Desta vez, a oferta de salário foi de R$ 2,1 mil mensais.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247