'Não é possível acusar Bolsonaro de crimes contra a saúde pública', diz PGR ao Supremo

A PGR (Procuradoria Geral da República) informou ao STF (Supremo Tribunal Federal) que não "é possível" imputar formalmente Jair Bolsonaro por crimes contra a saúde pública

Presidente Jair Bolsonaro coloca máscara durante entrevista coletiva sobre coronavírus no Palácio do Planalto
Presidente Jair Bolsonaro coloca máscara durante entrevista coletiva sobre coronavírus no Palácio do Planalto (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria Geral da República (PGR) comunicou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que não há possibilidade de se acusar formalmente o presidente da República de crimes contra a saúde pública que estão previstos no Código Penal.

A reportagem do portal G1 destaca que "na semana passada, o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG) apresentou ao STF uma notícia-crime contra o presidente, em razão das ações e manifestações dele em relação à pandemia do coronavírus."

A matéria ainda informa que "ao responder ao STF, a Procuradoria-Geral considera que o caso deve ser arquivado. O parecer, assinado pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, é uma resposta ao ministro Marco Aurélio Mello, relator do processo."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email