"Não há possibilidade de abafar a Lava Jato", diz nova AGU

Em sua primeira entrevista, a nova advogada-geral da União, Grace Mendonça, negou a intenção de "abafar a Operação Lava Jato", conforme denunciou seu antecessor Fábio Medina Osório, que caiu atirando; "A Lava Jato desenvolve seu trabalho independentemente da AGU, que atua no que se refere às ações de natureza cível, ou seja, às eventuais reparações ao erário, decorrentes de desvios. Não há nenhuma possibilidade de a AGU abafar a Lava Jato. Essa declaração não guarda nenhuma relação com o que é rotina aqui", afirmou

Em sua primeira entrevista, a nova advogada-geral da União, Grace Mendonça, negou a intenção de "abafar a Operação Lava Jato", conforme denunciou seu antecessor Fábio Medina Osório, que caiu atirando; "A Lava Jato desenvolve seu trabalho independentemente da AGU, que atua no que se refere às ações de natureza cível, ou seja, às eventuais reparações ao erário, decorrentes de desvios. Não há nenhuma possibilidade de a AGU abafar a Lava Jato. Essa declaração não guarda nenhuma relação com o que é rotina aqui", afirmou
Em sua primeira entrevista, a nova advogada-geral da União, Grace Mendonça, negou a intenção de "abafar a Operação Lava Jato", conforme denunciou seu antecessor Fábio Medina Osório, que caiu atirando; "A Lava Jato desenvolve seu trabalho independentemente da AGU, que atua no que se refere às ações de natureza cível, ou seja, às eventuais reparações ao erário, decorrentes de desvios. Não há nenhuma possibilidade de a AGU abafar a Lava Jato. Essa declaração não guarda nenhuma relação com o que é rotina aqui", afirmou (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 – Em sua primeira entrevista, concedida à jornalista Marina Dias, a nova advogada-geral da União, Grace Mendonça, negou a intenção de "abafar a Operação Lava Jato", conforme denunciou seu antecessor Fábio Medina Osório, que caiu atirando.

"A Lava Jato desenvolve seu trabalho independentemente da AGU, que atua no que se refere às ações de natureza cível, ou seja, às eventuais reparações ao erário, decorrentes de desvios. Não há nenhuma possibilidade de a AGU abafar a Lava Jato. Essa declaração não guarda nenhuma relação com o que é rotina aqui", afirmou.

Osório havia dito que, por determinação do ministro Eliseu Padilha, não seriam movidas ações de reparação contra aliados do governo Michel Temer (saiba mais aqui). Ele também acusou Grace de não copiar num HD inquéritos da Lava Jato que haviam sido enviados pelo STF.

"Essa informação é equivocada. O STF, quando encaminha o mandado, o faz com CDs, porque os nossos sistemas não são interligados. Eles [técnicos do STF] fizeram contato com uma diretora da nossa unidade para saber como iríamos operacionalizar, considerando o volume dos inquéritos, que não caberiam em CDs. Essa diretora viu a possibilidade de os sistemas se comunicarem, mas não havia ferramenta para isso. Por fim, veio a informação de que a única maneira seria HD externo. Foi um diálogo, meu Deus. Não foi comigo, foi com uma diretora da minha área", afirmou.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email