No CNJ, Barbosa cultua a própria personalidade

Material do Conselho Nacional de Justiça sobre o primeiro ano de gestão de Joaquim Barbosa ressalta "combate à corrupção e maior eficiência para o Judiciário"; longo relatório sobre os trabalhos do órgão entre novembro de 2012 e novembro de 2013 fala ainda em cumprimento de metas, redução do estoque de processos, número de Resoluções editadas, diminuição de gastos em combustível, diárias e passagens; Barbosa se vangloria até mesmo, como se fosse uma façanha sua, do "ingresso de cinco mulheres" na composição do Conselho; campanha?

Material do Conselho Nacional de Justiça sobre o primeiro ano de gestão de Joaquim Barbosa ressalta "combate à corrupção e maior eficiência para o Judiciário"; longo relatório sobre os trabalhos do órgão entre novembro de 2012 e novembro de 2013 fala ainda em cumprimento de metas, redução do estoque de processos, número de Resoluções editadas, diminuição de gastos em combustível, diárias e passagens; Barbosa se vangloria até mesmo, como se fosse uma façanha sua, do "ingresso de cinco mulheres" na composição do Conselho; campanha?
Material do Conselho Nacional de Justiça sobre o primeiro ano de gestão de Joaquim Barbosa ressalta "combate à corrupção e maior eficiência para o Judiciário"; longo relatório sobre os trabalhos do órgão entre novembro de 2012 e novembro de 2013 fala ainda em cumprimento de metas, redução do estoque de processos, número de Resoluções editadas, diminuição de gastos em combustível, diárias e passagens; Barbosa se vangloria até mesmo, como se fosse uma façanha sua, do "ingresso de cinco mulheres" na composição do Conselho; campanha? (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News

Brasília 247 – Um relatório divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre o primeiro ano da gestão de Joaquim Barbosa mostra que o ministro cultua sua própria personalidade. O balanço, que destaca, em seu primeiro texto, o "combate à corrupção e maior eficiência para o Judiciário" entre novembro de 2012 e novembro de 2013, traz uma série de números, tabelas e realizações do Conselho nesse período.

Uma foto de Joaquim Barbosa em página inteira estampa a parte inicial do documento, encadernado em formato de revista, com a seguinte frase: "Cabe a nós, juízes, advogados, promotores, professores e estudantes, manter o empenho constante para tornar o Judiciário mais célere e fazer com que o acesso à Justiça seja, sobretudo, justo e seguro".

O primeiro ano de Barbosa na gestão "foi marcado por diversas ações que buscaram conferir maior transparência e eficiência ao Poder Judiciário, além de contribuir com o combate à corrupção no País", diz o início do texto, que aborda o cumprimento de metas pelo Conselho, redução do estoque de processos, número de Resoluções editadas e diminuição de gastos como em combustível, diárias e passagens.

No subtítulo "Procura pelo CNJ", o relatório informa que o órgão de controle do Poder Judiciário recebeu, durante a gestão de Joaquim Barbosa, 7.173 novas ações, e 7.217 processos "foram solucionados". Além disso, o Conselho editou 17 Resoluções, uma Resolução Conjunta, um Enunciado Administrativo e duas Portarias Conjuntas nos últimos 12 meses, informa o documento.

PUBLICIDADE

Em "Economia", o balanço destaca a diminuição de gastos registrada no órgão sob o comando do ministro. "Enquanto de janeiro a outubro de 2012 foram consumidos 41.660 litros de combustível, no mesmo período deste ano, o consumo caiu para 33.240 litros, o que resultou em redução de 19,78% e economia de 13,88%", afirma o texto, em referência à gestão anterior à de Barbosa. Também são citadas economias em passagens e diárias dos ministros.

Até mesmo o "ingresso de cinco mulheres na composição do Conselho Nacional de Justiça" foi motivo para que Barbosa se vangloriasse. "Atualmente, elas correspondem a um terço do colegiado, proporção que ocorre pela primeira vez, desde a criação do Conselho em 2005. As composições anteriores contaram com, no máximo, duas mulheres por vez", continua o relatório. Seria ele uma espécie de prévia de folder de campanha do ministro que tem o nome incluído nas pesquisas de opinião?

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email