Ônibus coleciona infrações e irregularidades

Ficha do veculo que causou a tragdia na BR-153 soma mais de 30 multas no Departamento de Trnsito de Gois; a maioria por excesso de velocidade e problemas com equipamentos obrigatrios; acidente j soma 15 mortos

Brasília247 – O número de infrações acumuladas pelo ônibus que causou o acidente na BR-153, em trecho próximo ao trevo de Estrela do Norte (GO), pode comprovar a teoria de passageiros sobreviventes de que o veículo trafegava em péssimas condições e de que o motorista dirigia imprudentemente. Registros levantados no Departamento de Trânsito de Goiás apontam que nos últimos 11 meses, o carro foi multado 30 vezes. Dívidas somam R$ 2.042,94. 

As infrações cometidas pelo motorista do ônibus que levava passageiros clandestinamente de Codó (MA) para São Gotardo (MG) podem ser indícios de que o veículo estava mesmo em alta velocidade e de que o condutor Francisco Ferreira Ribeiro, 27 anos, fazia manobras perigosas ao longo da estrada quando bateu de frente com o outro ônibus, que seguia de Brasília para Minaçi (GO). Pelo menos 15 pessoas morreram e outras 60 ficaram feridas, sendo oito em estado grave. 

Os números do Detran/GO, publicados pelo Correio Braziliense desta segunda-feira (21), revelam o tamanho da imprudência e da falta de responsabilidade dos condutores do ônibus. Do total de multas, 16 foram por excesso de velocidade; seis por problemas com equipamentos obrigatórios; três por falta de documentos; duas por falta de cinto de segurança; uma por dirigir na contramão da via; uma por problemas com conservação do veículo; uma por transporte remunerado sem autorização. 

As informações mostram que a responsabilidade da tragédia não deverá se limitar a Francisco, preso em flagrante depois do acidente. Ele foi indiciado por homicídio doloso, aquele em que há intenção de matar, e por lesão corporal dolosa após testemunhas e passageiros relatarem que o motorista realizava ultrapassagens perigosas e seguia viagem em alta velocidade. 

Se for comprovado que o veículo – que tem mais de duas décadas de uso – circulava em condições de segurança precárias ou inadequadas, a dona da empresa de Turismo J. De Souza, Francisca da Cruz Teixeira da Silva, responsável pelo fretamento da viagem, também poderá ser indiciada. Há menos de quatro meses o coletivo foi multado por falta de conservação adequada. Ocorrências como sinalização ou lâmpadas queimadas também se somam à lista de problemas. 

Vítimas

Os dois ônibus envolvidos na tragédia de sábado (18) transportavam, juntos, 92 passageiros. Do total, pelo menos 60 pessoas ficaram feridos, sendo oito em estado grave, e 15 morreram. Na noite de sábado, o cobrador de ônibus da empresa Rápido Girassol Edmar Santos Ramos, 22 anos, foi identificado como a 15ª vítima. Ele e outras três pessoas do Distrito Federal morreram com a batida. 

Com informações do Correio Braziliense

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247