Operação da PF mira grupo de extermínio formado por PMs

Polícia Federal deflagra nesta sexta-feira 11 a segunda fase de Operação Sexto Mandamento, que atua contra grupo de extermínio formado por PMs de Goiás e advogados; a suspeita é de que haja mais de cem vítimas desde 2010; ao todo, são cumpridos nesta sexta três mandados de prisão temporária e 17 de condução coercitiva

Polícia Federal deflagra nesta sexta-feira 11 a segunda fase de Operação Sexto Mandamento, que atua contra grupo de extermínio formado por PMs de Goiás e advogados; a suspeita é de que haja mais de cem vítimas desde 2010; ao todo, são cumpridos nesta sexta três mandados de prisão temporária e 17 de condução coercitiva
Polícia Federal deflagra nesta sexta-feira 11 a segunda fase de Operação Sexto Mandamento, que atua contra grupo de extermínio formado por PMs de Goiás e advogados; a suspeita é de que haja mais de cem vítimas desde 2010; ao todo, são cumpridos nesta sexta três mandados de prisão temporária e 17 de condução coercitiva (Foto: Gisele Federicce)

Brasília 247 - A Polícia Federal deflagra nesta sexta-feira 11 a segunda fase de Operação Sexto Mandamento, que atua contra grupo de extermínio formado por policiais militares de Goiás e advogados.

A suspeita é de que haja mais de cem vítimas desde 2010. Ao todo, são cumpridos nesta sexta três mandados de prisão temporária e 17 de condução coercitiva nas cidades de Goiânia (GO), Alvorada do Norte (GO) e Formosa (GO).

O tenente-coronel da PM goiana Ricardo Rocha, que já foi preso por quatro meses na primeira fase da operação, em 2011, será conduzido coercitivamente de Goiânia (GO) a Brasília para prestar depoimento coercitivamente.

A segunda fase da operação investiga duas mortes e dois desaparecimentos. O nome da operação é uma referência ao sexto mandamento da Bíblia: "Não matarás".

Leia mais na matéria da Agência Brasil. 

Andreia Verdélio, repórter da Agência Brasil - A Polícia Federal deflagrou hoje (11) a segunda fase da Operação Sexto Mandamento para desarticular um grupo de extermínio atuante no estado de Goiás. A primeira fase da operação foi deflagrada em 2011 e tinha como alvo uma organização criminosa com poder de influência e de intimidação composta por policiais militares do estado, das mais diversas patentes.

À época, o subcomandante-geral da Polícia Militar e mais 18 policiais foram presos, além de outros civis. Eles eram suspeitos de envolvimento com a execução de crianças, adolescentes e mulheres em cidades goianas.

As duas mortes e dois desaparecimentos investigados na operação ocorreram em 2010. Desde 2015, o inquérito instaurado pela Polícia Federal para apurar o caso tramita na Justiça Federal em Formosa (GO).

A PF está cumprindo três mandados de prisão temporária, 19 mandados de busca e apreensão e 17 conduções coercitivas contra pessoas investigadas. As ações ocorrem nas cidades de Goiânia, Alvorada do Norte e Formosa, todas em Goiás.

O nome da operação é uma referência ao sexto mandamento da Bíblia: "Não matarás".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247