Oposição coleta assinaturas para instalar CPI da Amazônia

O líder da oposição na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon (PSB-RJ), começou a coletar assinaturas para instaurar uma CPI que investigue as causas das queimadas e apresente um diagnóstico de devastação da floresta. De acordo com o Inpe, a devastação aumentou 88% em junho e 278% em julho na comparação com iguais períodos de 2018

247 - O líder da oposição na Câmara dos Deputados, Alessandro Molon (PSB-RJ), começou nesta quinta-feira (22), a coletar assinaturas para instaurar uma CPI que investigue as causas das queimadas e apresente um diagnóstico de devastação da floresta. A informação foi publicada na coluna de Guilherme Amado, em Época. 

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a devastação aumentou 88% em junho e 278% em julho na comparação com iguais períodos de 2018.

Pesquisa feita pelo Ibope entre 14 e 16 de agosto, encomendada pela organização Avaaz, apontou que, para 83%, Jair Bolsonaro e o governo federal devem adotar uma política de "tolerância zero" contra o desmatamento ilegal na Amazônia.

Países como Alemanha, Irlanda e Canadá defendem o debate sobre o desmatamento da Amazônia durante a cúpula do G7, neste final de semana, na França. 

Bolsonaro também causou forte desavença com o presidente francês, Emmanuel Macron. Segundo ele, Bolsonaro “mentiu” sobre os compromissos ambientais assumidos pelo Brasil, o que levou a decisão da França de não ratificar o tratado comercial entre a UE e o Mercosul. 

"Dada a atitude do Brasil nas últimas semanas, o presidente da República só pode constatar que o presidente Bolsonaro mentiu para ele na cúpula (do G20) de Osaka", disse o governo francês por meio de nota. “O presidente Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos nem se comprometer com a biodiversidade”, complementa o texto. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247