PF apura vandalismo de membro da Rede

Sociólogo Pedro Piccolo, que foi flagrado com barra de ferro durante depredação do Itamaraty, em junho, pediu afastamento provisório da direção da Executiva Nacional do partido que Marina Silva tenta criar. "Sei que não cometi crime nenhum, só me excedi", diz ele

Sociólogo Pedro Piccolo, que foi flagrado com barra de ferro durante depredação do Itamaraty, em junho, pediu afastamento provisório da direção da Executiva Nacional do partido que Marina Silva tenta criar. "Sei que não cometi crime nenhum, só me excedi", diz ele
Sociólogo Pedro Piccolo, que foi flagrado com barra de ferro durante depredação do Itamaraty, em junho, pediu afastamento provisório da direção da Executiva Nacional do partido que Marina Silva tenta criar. "Sei que não cometi crime nenhum, só me excedi", diz ele (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal instaurou nesta terça-feira um inquérito para apurar a participação de um dirigente da Rede Sustentabilidade, partido que Marina Silva tenta criar, na depredação do Itamaraty no protesto de 20 de junho.

O sociólogo Pedro Piccolo aparece em fotografias segurando uma barra de ferro e com o rosto coberto com uma camiseta da Rede na porta do prédio atacado. No entanto, nega ter depredado o prédio e protestado em nome da Rede: "Sei que não cometi crime nenhum, só me excedi".

No início do mês, Piccolo pediu afastamento da direção da Executiva Nacional Provisória da Rede, que, na ocasião, divulgou uma nota rechaçando qualquer tipo de violência nos protestos. Marina também reprovou os atos de violência e vandalismo. "Ele próprio reconhece que errou. Sei que ele errou em todos os aspectos, até porque no meu entendimento não é com uma atitude violenta que se vai resolver os problemas", disse Marina, porém sem explicar por que o movimento decidiu não expulsá-lo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email