PGR pode pedir o afastamento de Cunha

Ação da Pocuradoria pode ser apresentada antes mesmo de o STF decidir se acolhe ou não a denúncia contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras; o caminho seria entrar com uma ação cautelar no Supremo Tribunal Federal, medida jurídica usada no caso da prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS); percepção dos procuradores é que o cenário pode não ser tão favorável a Cunha no Congresso; hoje é o dia da eventual abertura de processo de cassação contra ele no Conselho de Ética da Câmara, em pedido apresentado pelo PSOL 

Ação da Pocuradoria pode ser apresentada antes mesmo de o STF decidir se acolhe ou não a denúncia contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras; o caminho seria entrar com uma ação cautelar no Supremo Tribunal Federal, medida jurídica usada no caso da prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS); percepção dos procuradores é que o cenário pode não ser tão favorável a Cunha no Congresso; hoje é o dia da eventual abertura de processo de cassação contra ele no Conselho de Ética da Câmara, em pedido apresentado pelo PSOL 
Ação da Pocuradoria pode ser apresentada antes mesmo de o STF decidir se acolhe ou não a denúncia contra o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras; o caminho seria entrar com uma ação cautelar no Supremo Tribunal Federal, medida jurídica usada no caso da prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS); percepção dos procuradores é que o cenário pode não ser tão favorável a Cunha no Congresso; hoje é o dia da eventual abertura de processo de cassação contra ele no Conselho de Ética da Câmara, em pedido apresentado pelo PSOL  (Foto: Roberta Namour)

247 – Estimulada pela reação do STF no caso da prisão do senador Delcídio Amaral (PT-MS), a Procuradoria-Geral da República estuda possibilidade de pedir o afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara. Medida pode ser apresentada antes mesmo de a Corte decidir se acolhe ou não a denúncia contra ele por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desviado da Petrobras.

Segndo reportagem de Jailton de Carvalho, o caminho seria entrar com uma ação cautelar no Supremo, medida jurídica usada no caso de Delcídio Amaral. 

A percepção dos procuradores é que o cenário pode não ser tão favorável a Cunha no Congresso. O plenário do Senado avalizou por 59 votos a 13, além de uma abstenção, a prisão do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), pedida pelo relator da Lava Jato no Supremo, ministro Teori Zavascki.

Na semana passada, um grupo de líderes do Psol, Rede, PPS, PSDB, PSB e DEM entrou com uma representação contra Eduardo Cunha na Procuradoria-Geral da República (PGR).

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247