Plano contra a seca no DF deve sair até o fim da semana, diz Casa Civil

No documento estará um conjunto de ações que o governo estima como necessárias para reagir à escassez; dentre as medidas está a proposta de captação de água do Lago Paranoá, apresentada ao Ministério da Integração na última sexta-feira (10); também vai servir para o GDF captar repasses federais; com o estado de emergência, o governo fazer compras sem licitação

No documento estará um conjunto de ações que o governo estima como necessárias para reagir à escassez; dentre as medidas está a proposta de captação de água do Lago Paranoá, apresentada ao Ministério da Integração na última sexta-feira (10); também vai servir para o GDF captar repasses federais; com o estado de emergência, o governo fazer compras sem licitação
No documento estará um conjunto de ações que o governo estima como necessárias para reagir à escassez; dentre as medidas está a proposta de captação de água do Lago Paranoá, apresentada ao Ministério da Integração na última sexta-feira (10); também vai servir para o GDF captar repasses federais; com o estado de emergência, o governo fazer compras sem licitação (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - A Secretaria da Casa Civil do Distrito Federal informou, nesse domingo (12), que o plano de enfrentamento à situação de emergência por causa da crise hídrica deve sair até o fim desta semana. No documento estará um conjunto de ações que o governo estima como necessárias para reagir à escassez. Também vai servir para o GDF captar repasses federais. Com o estado de emergência, o governo fazer compras sem licitação.

Dentre as medidas está a proposta de captação de água do Lago Paranoá, apresentada ao Ministério da Integração na última sexta-feira (10). O plano também deve incluir a realização de obras e possível assistência a agricultores da região da bacia do Descoberto – responsável pelo abastecimento de 60% do DF, onde o racionamento parte para a quinta semana.

"Vamos integrar as ações, de forma a conseguir reunindo ao mesmo tempo quem tem capacidade de pensar as obras e de captar os recursos", afirmou o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio, ao G1.

O governo também pretende fazer obras para canalizar até o reservatório do Descoberto cursos de água isolados da região e fazer trabalhos para criar bacias de retenção com o objetivo de evitar infiltrações e perdas de água. 

Em relação à assistência a cerca de 12 mil agricultores do Descoberto, o governo estuda de que forma vai ser dado o apoio. Entre as estratégias discutidas, avalia-se a criação de uma bolsa ou ainda mais facilidades para concessão de crédito para o setor.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247