Polícia Federal: Temer lavou propina em imóveis da família

A Polícia Federal avança nas investigações sobre a lavagem de dinheiro atribuída a Michel Temer; a nova evidência encontrada pela Polícia Federal são transações imobiliárias em nomes de terceiros que dizem respeito a imóveis pertencentes à família Temer; Marcela Temer e o filho do casal são proprietários de alguns desses imóveis

Presidente Michel Temer durante cerimônia em Brasília 05/02/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer durante cerimônia em Brasília 05/02/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Gustavo Conde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A polícia federal avança nas investigações sobre a lavagem de dinheiro atribuída a Michel Temer. A nova evidência encontrada pela Polícia Federal são transações imobiliárias em nomes de terceiros que dizem respeito a imóveis pertencentes à família Temer. Marcela Temer e o filho do casal são proprietários de alguns desses imóveis.

A investigação é um desdobramento das conexões entre Temer e seu operador, o coronel João Baptista de Lima Filho, cujo montante de propina repassada a Temer chega a R$ 2 milhões.

Reformas também estão na lista de possíveis ilegalidades o horizonte judicial do emedebista e aí entram aparecem os nomes da filha Maristela Temer e a sogra, Norma Tedeschi.

Maria Rita Fratezi, mulher do coronel Lima, teria repassado em dinheiro vivo a fornecedores pagamentos de reforma de um imóvel pertencente à Maristela.

Empresas como JBS e Engevix aparecem como possíveis fornecedores do dinheiro que serviu a pagamentos de reformas, em cruzamentos financeiros que remontam às campanhas eleitorais do MDB.

Leia mais aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247