Pré-sal: Cunha deve pautar projeto que resgata regime de concessão

Segundo a colunista Natuza Nery, o projeto sobre o pré-sal aprovado na semana passada pelo Senado, de autoria de José Serra (PSDB-SP), deve ficar um bom tempo mofando na gaveta, pois na Câmara, a intenção de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é pautar um projeto que prevê regras completamente diferentes, mudando o regime de partilha para o de concessão, como funcionava na época de FHC

Segundo a colunista Natuza Nery, o projeto sobre o pré-sal aprovado na semana passada pelo Senado, de autoria de José Serra (PSDB-SP), deve ficar um bom tempo mofando na gaveta, pois na Câmara, a intenção de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é pautar um projeto que prevê regras completamente diferentes, mudando o regime de partilha para o de concessão, como funcionava na época de FHC
Segundo a colunista Natuza Nery, o projeto sobre o pré-sal aprovado na semana passada pelo Senado, de autoria de José Serra (PSDB-SP), deve ficar um bom tempo mofando na gaveta, pois na Câmara, a intenção de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é pautar um projeto que prevê regras completamente diferentes, mudando o regime de partilha para o de concessão, como funcionava na época de FHC (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Se os governistas se revoltaram com a aprovação do projeto do senador José Serra (PSDB-SP) na semana passada, que prevê o fim da participação obrigatória da Petrobras na exploração do pré-sal, a tendência é que o clima esquente na Câmara dos Deputados.

Segundo a jornalista Natuza Nery, da coluna Painel, o projeto de Serra deve agora ficar um bom tempo mofando na gaveta, pois na Câmara, a intenção do presidente, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é pautar um projeto que prevê uma lei completamente diferentes para a exploração do pré-sal.

A ideia do deputado é aprovar um texto que muda o atual regime de partilha para o de concessão, como funcionava na época do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Especialistas apontam que o ideal para a exploração de petróleo em águas profundas, quando se sabe que o risco é menor e há uma boa quantidade de petróleo, é utilizar o modelo de partilha, como funciona hoje.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email