Procuradoria denuncia 26 por ‘rombo bilionário’ em fundos de pensão

Além de penas de prisão, os procuradores pedem o pagamento de R$ 3,1 bilhões como forma de reparação de danos moral e social causados, bem como para a devolução dos produtos dos crimes

(Foto: PGR)

247 - A Procuradoria da República no Distrito Federal denunciou 26 investigados por suposto ‘rombo bilionário‘ contra previdência complementar Funcef, Petros e Postalis. Além de penas de prisão, os procuradores pedem o pagamento de R$ 3,1 bilhões como forma de reparação de danos moral e social causados, bem como para a devolução dos produtos dos crimes. O montante equivale ao triplo dos prejuízos causados. As fraudes teriam ocorrido, segundo a Procuradoria, entre 2009 e 2014.

Nesta segunda-feira (7) foram levadas à Justiça três acusações penais contra o grupo por supostas fraudes. De acordo com os procuradores, nos três casos, os crimes teriam sido viabilizados por meio de aportes no Fundo de Investimentos e Participações (FIP) Multiner.

“Os acusados responderão, na medida de suas participações, por gestão fraudulenta, temerária ou por desvio de recursos em proveito próprio ou de terceiros”, assinala o Ministério Público Federal.

“Diretores dos fundos de pensão, em parceria com executivos do Multiner e com empresas de consultoria, agiram para aprovar aportes milionários no Multiner, mesmo em um cenário de desequilíbrio e incapacidade financeira da empresa”, sustenta o órgão.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247