Procuradoria diz que haver elementos para investigar distritais

Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado

Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado
Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247- Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina. São alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR). Também é citado o deputado Cristiano Araújo (PSD). 

De acordo com reportagem da TV Globo, seis das 11 representações contra os deputados receberam pareceres favoráveis à continuidade do processo. No documento, a Procuradoria afirmou que há "requisitos suficientes ao encaminhamento" do pedido à Mesa Diretora e que os "fatos narrados ultrapassam meras 'notícias de jornais'".

A Mesa Diretora informou que aguardará os pareceres dos 11 pedidos protocolados na CLDF antes de decidir se os processos vão para a Corregedoria da Casa. A Procuradoria ainda solicitou mais documentos às entidades que pediram abertura de processo de cassação contra deputados. Apesar de terem sido afastados, os parlamentares investigados mantiveram seus mandatos. 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247