Procuradoria diz que haver elementos para investigar distritais

Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado

Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado
Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina; são alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR); o deputado Cristiano Araújo (PSD) também foi citado (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247- Parecer da Procuradoria-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aponta que há elementos para o prosseguimento do processo de cassação contra deputados distritais suspeitos de articularem a liberação de R$ 30 milhões para o pagamento de empresas de UTI em troca de propina. São alvos dos pedidos quatro membros da Mesa Diretora afastados pela Justiça após a operação Drácon, da Polícia Civil: a presidente Celina Leão (PPS), o primeiro secretário, Raimundo Ribeiro (PPS), o segundo secretário, Julio Cesar (PRB), e o terceiro secretário Bispo Renato Andrade (PR). Também é citado o deputado Cristiano Araújo (PSD). 

De acordo com reportagem da TV Globo, seis das 11 representações contra os deputados receberam pareceres favoráveis à continuidade do processo. No documento, a Procuradoria afirmou que há "requisitos suficientes ao encaminhamento" do pedido à Mesa Diretora e que os "fatos narrados ultrapassam meras 'notícias de jornais'".

A Mesa Diretora informou que aguardará os pareceres dos 11 pedidos protocolados na CLDF antes de decidir se os processos vão para a Corregedoria da Casa. A Procuradoria ainda solicitou mais documentos às entidades que pediram abertura de processo de cassação contra deputados. Apesar de terem sido afastados, os parlamentares investigados mantiveram seus mandatos. 

 

 

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247