Reforma na biblioteca do Planalto para sala que Michelle Bolsonaro não quis mais custou R$ 62 mil

Durante a reforma da biblioteca presidencial para instalar sala com banheiro privativo, livros históricos foram empilhados no corredor. Com repercussão negativa, Michelle Bolsonaro desistiu da sala em meio à obra

Michelle e Jair Bolsonaro
Michelle e Jair Bolsonaro (Foto: Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Fórum - A reforma na biblioteca da Presidência da República, no Palácio do Planalto, que teve sua área de acervo reduzida para abrigar uma sala com banheiro privativo para Michelle Bolsonaro custou R$ 62 mil, segundo informações obtidas via Lei de Acesso à Informação, divulgadas neste sábado (2) por Guilherme Amado na revista Época.

As obras teriam feitas por empresas terceirizadas em fevereiro, por meio de um contrato já existente, após a primeira-dama pedir a Jair Bolsonaro um espaço para despachar próximo do gabinete presidencial.

Leia a íntegra na Fórum. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247