Reguffe defende isenção de tributos sobre remédios

Senador Reguffe (PDT-DF) criticou o governo, em Plenário, por autorizar o aumento de 7,7% nos medicamentos; ele ainda defendeu proposta de emenda à Constituição que proíbe a tributação incidente sobre os remédios; "Existem famílias nesse país que gastam mais de R$ 3 mil por mês com medicamentos de uso contínuo. Isso é a vida real dessas pessoas. E cabe a nós fazer algo com relação a isso, algo concreto, algo objetivo", disse

Senador Reguffe (PDT-DF) criticou o governo, em Plenário, por autorizar o aumento de 7,7% nos medicamentos; ele ainda defendeu proposta de emenda à Constituição que proíbe a tributação incidente sobre os remédios; "Existem famílias nesse país que gastam mais de R$ 3 mil por mês com medicamentos de uso contínuo. Isso é a vida real dessas pessoas. E cabe a nós fazer algo com relação a isso, algo concreto, algo objetivo", disse
Senador Reguffe (PDT-DF) criticou o governo, em Plenário, por autorizar o aumento de 7,7% nos medicamentos; ele ainda defendeu proposta de emenda à Constituição que proíbe a tributação incidente sobre os remédios; "Existem famílias nesse país que gastam mais de R$ 3 mil por mês com medicamentos de uso contínuo. Isso é a vida real dessas pessoas. E cabe a nós fazer algo com relação a isso, algo concreto, algo objetivo", disse (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Senado - O senador Reguffe (PDT-DF) criticou nesta quarta-feira (1º) o governo, em Plenário, por autorizar o aumento de 7,7% nos medicamentos.

Ele ainda defendeu proposta de emenda à Constituição que proíbe a tributação incidente sobre os remédios.

Reguffe lembrou que países como Inglaterra, Colômbia e Canadá não tributam medicamentos. Mas, no Brasil, os impostos equivalem a 35,7% do preço dos medicamentos.

O senador citou dados do Ministério da Fazenda que revelam que a União deixaria de arrecadar apenas R$ 3 bilhões ao ano se não houvesse tributação sobre remédios.

O valor é irrelevante, a seu ver, quando comparado com o orçamento da União de 2011, ano em que o estudo foi feito: mais de R$ 2 trilhões.

— Existem famílias nesse país que gastam mais de R$ 3 mil por mês com medicamentos de uso contínuo. isso é a vida real dessas pessoas. e cabe a nós fazer algo com relação a isso, algo concreto, algo objetivo — afirmou.

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247