Reinaldo diz que Cármen Lúcia homologou as delações da Odebrecht sem ler

"Cármen Lúcia, presidente do Supremo — e notória pré-candidata a eleição indireta, direta ou, como direi?, a serviço do Espírito Santo —, teve papel definidor. Foi ela quem homologou de cambulhada as delações", diz o colunista Reinaldo Azevedo, ao comentar as contradições que afloraram nas delações da empreiteira

A ministra do STF, Cármen Lúcia Antunes Rocha participa da abertura do 7º Fórum Liberdade de Imprensa & Democracia (Antonio Cruz/Agência Brasil)
A ministra do STF, Cármen Lúcia Antunes Rocha participa da abertura do 7º Fórum Liberdade de Imprensa & Democracia (Antonio Cruz/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O colunista neocon Reinaldo Azevedo acusa a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, de ter homologado sem ler as delações da Odebrecht. Confira abaixo:

Reportagem publicada pela Folha neste domingo mostra uma penca de contradições entre delatores da Odebrecht: em muitos casos, há versões conflitantes, e estas, por seu turno, não estão espelhadas nas petições que pediram abertura de inquérito, com as quais concordou o ministro Edson Fachin. Antes dele, Cármen Lúcia, presidente do Supremo — e notória pré-candidata a eleição indireta, direta ou, como direi?, a serviço do Espírito Santo —, teve papel definidor. Foi ela quem homologou de cambulhada as delações.

Atenção! As divergências dizem respeito às versões — às narrativas propriamente ؙ—, mas também aos valores. Obviamente, a reportagem da Folha não fez um levantamento sobre todos os implicados na Lava Jato. Segundo se entende, fixou-se na lista da Odebrecht, que é imensa. Mesmo nesse grupo restrito, é possível que muitas outras incongruências, dado o número de depoimentos e implicados, ainda estejam por vir à luz.

O que isso significa? Pois não! Cármen homologou tudo de cambulhada sem ler. Afinal, havia o alarido: “Homologa isso aí depressa!”. E Fachin adotou o método: abra-se inquérito e pronto!

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247