Relatora do Fundeb na Câmara diz que há compromisso para que texto passe no Senado sem mudanças

Em entrevista à TV 247, a deputada federal Professora Dorinha falou sobre seu trabalho de articulação no Congresso que permitiu que fosse aprovado quase por unanimidade o Fundeb permanente, promovendo uma grande derrota para o governo Bolsonaro. Assista

Professora Dorinha Seabra, Davi Alcolumbre e Flávio Arns
Professora Dorinha Seabra, Davi Alcolumbre e Flávio Arns (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A deputada federal Professora Dorinha Seabra (DEM-TO), relatora do Fundeb na Câmara dos Deputados, falou à TV 247 que espera uma rápida aprovação do texto no Senado sem alterações e que há um compromisso entre as duas casas neste sentido. Na entrevista, ela falou sobre seu trabalho de articulação no Congresso que permitiu que fosse aprovado quase por unanimidade o Fundeb permanente, promovendo uma grande derrota para o governo Bolsonaro. 

A parlamentar explicou que o novo texto do Fundeb foi construído em conjunto com o Senado, representado na pessoa do senador Flávio Arns (Rede-PR), justamente para tornar o plano plural e facilitar a aprovação da proposta entre os senadores.

“Desde maio do ano passado que eu convidei e nós conversamos juntos, eu e o senador Flávio Arns, que é o relator de duas PECs com o mesmo tema no Senado, e acho que pela primeira vez a Câmara o Senado começaram a trabalhar juntos. Os consultores da Câmara e do Senado começaram a trabalhar, o senador Flávio Arns foi de um espírito público e um compromisso com a educação porque assumiu esse compromisso com o texto. Por isso que eu disse que muitos elementos que estão nesse texto não são só da Câmara, eles vieram nessa construção justamente para dar esse conforto para o próprio Senado. Foi confirmada a relatoria do senador Flávio Arns e também assinei o autógrafo da PEC e ela já foi para o Senado. Existe o compromisso do Senado de rapidamente votar o texto da PEC sem alteração seguindo o texto que foi votado na Câmara”, explicou.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247