Renan: 'Congresso deve funcionar no recesso'

"Muitos acham que cruzar os braços nesta hora é agravar a crise econômica. Setores da própria oposição defenderam que nós possamos estabelecer uma data já nos primeiros dias de janeiro. Essa é uma posição de racionalidade, de bom senso, o Brasil espera que nesse momento de dificuldade o Congresso continue trabalhando. A maior sinalização que o Congresso Nacional pode dar com relação ao encaminhamento de soluções para a crise é funcionar no recesso", declarou o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL)

"Muitos acham que cruzar os braços nesta hora é agravar a crise econômica. Setores da própria oposição defenderam que nós possamos estabelecer uma data já nos primeiros dias de janeiro. Essa é uma posição de racionalidade, de bom senso, o Brasil espera que nesse momento de dificuldade o Congresso continue trabalhando. A maior sinalização que o Congresso Nacional pode dar com relação ao encaminhamento de soluções para a crise é funcionar no recesso", declarou o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL)
"Muitos acham que cruzar os braços nesta hora é agravar a crise econômica. Setores da própria oposição defenderam que nós possamos estabelecer uma data já nos primeiros dias de janeiro. Essa é uma posição de racionalidade, de bom senso, o Brasil espera que nesse momento de dificuldade o Congresso continue trabalhando. A maior sinalização que o Congresso Nacional pode dar com relação ao encaminhamento de soluções para a crise é funcionar no recesso", declarou o presidente do Congresso, Renan Calheiros (PMDB-AL) (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - O presidente do Senado, Renan Calheiros, disse nesta quarta-feira (09) que o Congresso não deve entrar no recesso parlamentar, mantendo as atividades no mês de janeiro.

Renan informou que ainda não está definida a data e de que forma será feita a convocação dos parlamentares. O recesso é previsto no artigo 57, da Constituição Federal que define o período da sessão legislativa entre 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro.

— Muitos acham que cruzar os braços nesta hora é agravar a crise econômica. Setores da própria oposição defenderam que nós possamos estabelecer uma data já nos primeiros dias de janeiro. Essa é uma posição de racionalidade, de bom senso, o Brasil espera que nesse momento de dificuldade o Congresso continue trabalhando. A maior sinalização que o Congresso Nacional pode dar com relação ao encaminhamento de soluções para a crise é funcionar no recesso. A dúvida é quando começaremos e como faremos para convocar — argumentou Renan.

O presidente do Senado também explicou que no caso de convocação, além do pedido de impeachment, a colocação de medidas provisórias na pauta é uma exigência constitucional.

Dilma e Temer

Em relação à conversa marcada para esta noite entre a presidente da República Dilma Rousseff e o vice-presidente Michel Temer, Renan Calheiros defendeu a abertura do diálogo para evitar o agravamento da crise.

— Acho que é preciso que o vice e a presidente construam uma convergência, e essa convergência não tem outro caminho se não o caminho dos compromissos com o Brasil — enfatizou.

Orçamento

O presidente do Senado, Renan Calheiros, comunicou ainda que na próxima semana, já a partir da terça-feira (15) convocará sessões do Congresso Nacional para votar todas as matérias orçamentárias.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247