Renan diz que diferenças com Moraes ficaram no passado

Após chamar Alexandre de Moraes de "chefete de política" durante o episódio de detenção agentes da Polícia Legislativapela Polícia Federal, em outubro do ano passado, renan calheiros (PMDB-AL), disse que suas divergências com ele são "coisa do passado"; indicado por Michel Temer para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), Moraes se reuniu com senadores do PMDB na terça durante uma hora e dez minutos

Renan Calheiros e Alexandre de Moraes
Renan Calheiros e Alexandre de Moraes (Foto: Giuliana Miranda)

Brasília 247 - Quatro meses depois de chamar o então ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, de “chefete de política”, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), disse que suas divergências com ele são "coisa do passado". Indicado por Michel Temer para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), Moraes se reuniu com senadores do PMDB, nesta terça-feira à tarde, 14, durante uma hora e dez minutos.

As informações são de reportagem de Vera Rosa e Ricardo Brito no Estado de S.Paulo.

"No gabinete da liderança do partido no Senado, onde o ministro licenciado expôs suas ideias, estavam parlamentares investigados pela Operação Lava Jato, entre eles o próprio Renan.

Em outubro do ano passado, quando agentes da Polícia Legislativa foram detidos pela Polícia Federal, Renan – então presidente do Senado – disse que Moraes não estava se portando como ministro da Justiça. Afirmou, na ocasião, que ele parecia um “chefete de polícia” e que falava mais do que devia “dando bom dia a cavalo”.

Questionado nesta terça-feira se não era contraditório apoiar Moraes para a vaga de Teori Zavascki no Supremo, depois de tantas críticas feitas a ele no passado, Renan abriu um sorriso. 'Você disse bem. É coisa do passado', desconversou."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247