Renan nega ter sido procurado por Mercadante

Em nota, o presidente do Senado diz que "são totalmente improcedentes as citações feitas pelo senhor José Eduardo Mazagão", divulgadas na delação premiada do senador Delcídio Amaral, e afirma que "não foi e nem poderia ser procurado pelo ministro da Educação para tratar de nenhum dos assuntos relacionados na referida reportagem. Como se sabe, a alegada moção não existiu"

Em nota, o presidente do Senado diz que "são totalmente improcedentes as citações feitas pelo senhor José Eduardo Mazagão", divulgadas na delação premiada do senador Delcídio Amaral, e afirma que "não foi e nem poderia ser procurado pelo ministro da Educação para tratar de nenhum dos assuntos relacionados na referida reportagem. Como se sabe, a alegada moção não existiu"
Em nota, o presidente do Senado diz que "são totalmente improcedentes as citações feitas pelo senhor José Eduardo Mazagão", divulgadas na delação premiada do senador Delcídio Amaral, e afirma que "não foi e nem poderia ser procurado pelo ministro da Educação para tratar de nenhum dos assuntos relacionados na referida reportagem. Como se sabe, a alegada moção não existiu" (Foto: Aline Lima)

247 – O Gabinete da Presidência do Senado, comandada por Renan Calheiros (PMDB-AL), divulgou uma nota nesta terça-feira 15 em que nega que o senador tenha sido procurado pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, para a elaboração de uma moção em favor do senador Delcídio Amaral (PT-MS).

"São totalmente improcedentes as citações feitas pelo senhor José Eduardo Mazagão", diz o texto, sobre o diálogo entre Mazagão, assessor de confiança de Delcídio, e Mercadante, que consta na delação premiada de Delcídio. "Como se sabe, a alegada moção não existiu", diz ainda a nota. Leia abaixo a íntegra:

Nota pública do Gabinete da Presidência do Senado

O presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), não foi e nem poderia ser procurado pelo ministro da Educação para tratar de nenhum dos assuntos relacionados na referida reportagem. Como se sabe, a alegada moção não existiu.

O senador afirma ainda que são totalmente improcedentes as citações feitas pelo senhor José Eduardo Mazagão. As referências não condizem com o perfil do senador.

Assessoria de Imprensa da Presidência do Senado Federal ​

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247