Renan vai avaliar pedido de impeachment contra Janot

"Nos últimos meses, já arquivei cinco pedidos de impedimentos do procurador-geral da República, eu entendi que as petições eram ineptas. Essa, eu vou avaliar", disse o presidente do Senado, Renan Calheiros; o pedido foi feito por duas advogadas ligadas ao movimento pró-afastamento de Dilma Rousseff, que argumentaram tratamento diferenciado dado a políticos do PT e PMDB pela PGR; Janot pediu recentemente a prisão de Renan e de outros caciques do PMDB por suposta tentativa de barrar a Lava Jato; o requerimento foi negado pelo STF 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o presidente do Senado, Renan Calheiros durante encontro no gabinete da Presidência do Senado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e o presidente do Senado, Renan Calheiros durante encontro no gabinete da Presidência do Senado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Roberta Namour)

247 - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), sugeriu que pode aceitar um pedido de impeachment contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que foi protocolado nesta segunda-feira, 13, no Senado. "Nos últimos meses, já arquivei cinco pedidos de impedimentos do procurador-geral da República, eu entendi que as petições eram ineptas. Essa, eu vou avaliar", disse.

O pedido foi feito por duas advogadas ligadas ao movimento pelo afastamento de Dilma Rousseff. Elas argumentam que Janot deu tratamento diferenciado a políticos do PT e do PMDB que estariam envolvidos em "situações análogas" na Lava Jato.

Janot pediu recentemente a prisão de Renan e de outros caciques do PMDB por suposta tentativa de barrar a Lava Jato. O requerimento foi negado pelo ministro do STF Teori Zawascki. Em áudio, Renan foi flagrado chamando Janot de "mau-caráter".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247