Risco de parcelar salário de servidores do DF é de 50%, diz secretário

O secretário-chefe da Casa Civil do Distrito Federal, Sérgio Sampaio, informou que chega a 50% a probabilidade de o governo ter de parcelar o salário dos servidores públicos por causa de um déficit de quase R$ 2 bilhões no orçamento; o titular negou que o executivo pense em aumentar impostos; "Eu posso já antecipar e garantir que não haverá novos aumentos de impostos. Nós não trabalhamos com essa hipótese", afirmou

Palácio do Buriti, Brasília, DF, Brasil 31/8/2016
Palácio do Buriti, Brasília, DF, Brasil 31/8/2016 (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O secretário-chefe da Casa Civil do Distrito Federal, Sérgio Sampaio, informou nesta quarta-feira (16) que chega a 50% a probabilidade de o governo ter de parcelar o salário dos servidores públicos por causa de um déficit de quase R$ 2 bilhões no orçamento. O titular negou que o executivo pense em aumentar impostos. "Eu posso já antecipar e garantir que não haverá novos aumentos de impostos. Nós não trabalhamos com essa hipótese", afirmou.

De acordo com o secretário, o GDF vai priorizar o pagamento dos fornecedores, que estavam com repasses atrasados, para evitar "colapso". "Até agora a gente tem feito a escolha pelos servidores públicos e deixando os fornecedores do DF de lado. Mas isso tem limite. Não podemos deixar dois meses, três meses, quatro meses [sem pagar] porque eles [os fornecedores] param também do lado de lá, e a cidade entra em caos", disse. A entrevista foi concedida ao G1.

Entre os serviços considerados essenciais citados por Sampaio estão transporte público, limpeza pública, manutenção de equipamentos de hospitais e fornecimento de medicamentos. "A gente fica fazendo essa conta para ver até onde a gente consegue esticar a corda com esses fornecedores para eles não pararem o fornecimento dos serviços", acrescentou.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247