HOME > Brasília

Rodoviários preparam greve, mas população será avisada, informa sindicato

As classes patronal e trabalhadora do transporte público tiveram uma reunião, no TRT-10, solucionar as reivindicações salariais dos trabalhadores da categoria, mas não houve consenso; a desembargadora Maria Regina Machado Guimarães deu um prazo de 48 horas para o Sindicato dos Rodoviários apresentar a defesa dos problemas apontados por cinco empresas; “Prepararemos a categoria para greve, mas ainda não sabemos quando será. A população será informada para poder se programar”, afirmou João Jesus de Oliveira, vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários

As classes patronal e trabalhadora do transporte público tiveram uma reunião, no TRT-10, solucionar as reivindicações salariais dos trabalhadores da categoria, mas não houve consenso; a desembargadora Maria Regina Machado Guimarães deu um prazo de 48 horas para o Sindicato dos Rodoviários apresentar a defesa dos problemas apontados por cinco empresas; “Prepararemos a categoria para greve, mas ainda não sabemos quando será. A população será informada para poder se programar”, afirmou João Jesus de Oliveira, vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários (Foto: Leonardo Lucena)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Brasília 247 - As classes patronal e trabalhadora do transporte público tiveram, nesta segunda-feira (18), uma reunião, no Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT-10), solucionar as reivindicações salariais dos trabalhadores da categoria, mas não houve consenso. "Prepararemos a categoria para greve, mas ainda não sabemos quando será. A população será informada para poder se programar", afirmou João Jesus de Oliveira, vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários.

A desembargadora Maria Regina Machado Guimarães deu um prazo de 48 horas para o Sindicato dos Rodoviários apresentar a defesa dos problemas apontados pelas empresas Auto Viação Marechal, Consórcio HP-Ita, Expresso São José, Viação Pioneira e Viação Piracicabana.

Os empresários de ônibus devem se manifestar sobre o pedido feito pelo sindicato, de reconsideração de uma liminar concedida pela desembargadora, em 28 de agosto, determinando os percentuais de circulação de veículos durante a paralisação realizada naquele dia.

De acordo com Barbosa Neto, presidente da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros (Transit), o ideal é um acordo coletivo de trabalho baseado na "realidade econômica do país". "Não há possibilidade de se pensar em ganhos fora da realidade. Estamos em tempos de crise e, neste momento, devemos ter a responsabilidade de não impor perda ao trabalhador, mas também não podemos fechar os olhos para a realidade", afirmou. O relato é do Correio.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: