Rollemberg pede R$ 1 bi extra para pagar salários

Com o objetivo de evitar novo atraso nos pagamentos de salários e dos serviços prestados por empresas de ônibus, o governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), pretende solicitar ao Tesouro Nacional que, além de depositar os recursos do Fundo Constitucional, em janeiro, adiante o pagamento do equivalente a um mês; o valor anual, de R$ 12 bilhões, é dividido em 12 parcelas de R$ 1 bilhão

 Rodrigo Rollemberg, governador eleito do DF, anuncia os nomes dos futuros secretários de seu governo (Elza Fiúza/Agência Brasil)
Rodrigo Rollemberg, governador eleito do DF, anuncia os nomes dos futuros secretários de seu governo (Elza Fiúza/Agência Brasil) (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 – Com o objetivo de evitar novo atraso nos pagamentos de salários e dos serviços prestados por empresas de ônibus, o governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB), pretende solicitar ao Tesouro Nacional que, além de depositar os recursos do Fundo Constitucional, em janeiro, adiante o pagamento do equivalente a um mês. O valor anual, de R$ 12 bilhões, é dividido em 12 parcelas de R$ 1 bilhão.

O coordenador da transição, Hélio Doyle, futuro chefe da Casa Civil do próximo governo, informou que Rollemberg pediu audiências à presidente Dilma Rousseff (PT) e ao ministro indicado da Fazenda, Joaquim Levy.

"Ele terá conversas amplas, mas poderá também discutir o adiantamento de recursos. Não haveria problema para o governo federal, porque é um dinheiro que já seria pago mais tarde. E não interessa a ninguém que a situação fique muito ruim no Distrito Federal", afirmou Doyle ao Correio.

Em referência às contas do GDF, a secretária indicada de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal, Leany Lemos, disse que "vários números são difíceis de conseguir até mesmo para o pessoal da administração atual, pois costumam ser consolidados só depois de vários meses".

De acordo com ela, o governo atual encontrou o caixa com R$ 1 bilhão deixado pelo governo anterior. "Nosso temor é encontrar um número negativo",

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247