Rosso: Impeachment será votado em abril

Deputado Rogério Rosso (PSD-DF), presidente da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, afirmou que espera submeter ao plenário a votação do processo no próximo mês de abril; "Imagino que, sendo esses prazos cumpridos nos seus limites, a partir do dia 11 de abril, o relatório do processo de impeachment poderá ser levado ao plenário. De 11 a 15 de abril, na primeira quinzena de abril. Não se trata de antecipar ou ganhar prazos, se trata do rito", disse; segundo ele, a bancada do PSD está liberada para votar como bem entender no processo

Deputado Rogério Rosso (PSD-DF), presidente da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, afirmou que espera submeter ao plenário a votação do processo no próximo mês de abril; "Imagino que, sendo esses prazos cumpridos nos seus limites, a partir do dia 11 de abril, o relatório do processo de impeachment poderá ser levado ao plenário. De 11 a 15 de abril, na primeira quinzena de abril. Não se trata de antecipar ou ganhar prazos, se trata do rito", disse; segundo ele, a bancada do PSD está liberada para votar como bem entender no processo
Deputado Rogério Rosso (PSD-DF), presidente da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, afirmou que espera submeter ao plenário a votação do processo no próximo mês de abril; "Imagino que, sendo esses prazos cumpridos nos seus limites, a partir do dia 11 de abril, o relatório do processo de impeachment poderá ser levado ao plenário. De 11 a 15 de abril, na primeira quinzena de abril. Não se trata de antecipar ou ganhar prazos, se trata do rito", disse; segundo ele, a bancada do PSD está liberada para votar como bem entender no processo (Foto: Aquiles Lins)

Brasília 247 - O deputado Rogério Rosso (PSD-DF), presidente da comissão do impeachment da presidente Dilma Rousseff na Câmara, afirmou que espera submeter ao plenário a votação do processo no próximo mês de abril.

"Imagino que, sendo esses prazos cumpridos nos seus limites, a partir do dia 11 de abril, o relatório do processo de impeachment poderá ser levado ao plenário. De 11 a 15 de abril, na primeira quinzena de abril. Não se trata de antecipar ou ganhar prazos, se trata do rito", disse Rosso, em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

Rosso, que é ex-governador do Distrito Federal, revela que não votou na presidente Dilma Rousseff, liberou a bancada do partido na Câmara para votar com entendesse."A bancada do PSD está livre para se manifestar da forma que quiser no plenário da Câmara dos Deputados com relação ao impeachment", afirmou. 

Leia aqui a entrevista.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247