Secretário de Agnelo vira alvo de armação no DF

Prestes a absorver o comando da publicidade do Distrito Federal, o jornalista Ugo Braga, atual secretário de comunicação, é atacado por adversários, que cobiçam sua vaga; Braga tomou a linha de frente em defesa do governador Agnelo, quando adversários políticos, como o deputado Fernando Francischini (PEN-PR), que sonhava em transferir o domicílio eleitoral para o DF, tramavam sua queda, em conjunto com a turma do bicheiro Carlos Cachoeira

Prestes a absorver o comando da publicidade do Distrito Federal, o jornalista Ugo Braga, atual secretário de comunicação, é atacado por adversários, que cobiçam sua vaga; Braga tomou a linha de frente em defesa do governador Agnelo, quando adversários políticos, como o deputado Fernando Francischini (PEN-PR), que sonhava em transferir o domicílio eleitoral para o DF, tramavam sua queda, em conjunto com a turma do bicheiro Carlos Cachoeira
Prestes a absorver o comando da publicidade do Distrito Federal, o jornalista Ugo Braga, atual secretário de comunicação, é atacado por adversários, que cobiçam sua vaga; Braga tomou a linha de frente em defesa do governador Agnelo, quando adversários políticos, como o deputado Fernando Francischini (PEN-PR), que sonhava em transferir o domicílio eleitoral para o DF, tramavam sua queda, em conjunto com a turma do bicheiro Carlos Cachoeira (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Mudanças na secretaria de publicidade do governo Distrito Federal, que deve ser absorvida pela secretaria de Comunicação, comandada pelo jornalista Ugo Braga, já alimentam o fogo amigo em Brasília. Esse é o tema de artigo publicado nesta quinta pelo colunista Claudio Humberto. Leia abaixo:

SECRETÁRIO NO DF VIRA ALVO DE FOFOCAS DE INTERESSADOS EM CONTROLAR PUBLICIDADE

SAÍDA DO SECRETÁRIO DE PUBLICIDADE DESPERTOU A COBIÇA QUE ATACA UGO BRAGA

O jornalista Ugo Braga, secretário de Comunicação do governo do DF, está pagando um preço elevado pela permanente defesa que faz do governador Agnelo Queiroz (PT), na condição de seu porta-voz. No auge do escândalo envolvendo o bicheiro Carlos Cachoeira, ele travou nas redes sociais um duelo com o deputado Francischini (PSDB-PR), que é delegado da Polícia Federal e atacava o governador.

Nesses bate-boca virtual, o secretário inclusive exibiu em sua página links para sites que divulgavam denúncias contra o parlamentar. Agora, virou alvo do deputado e dos demais adversários do governador do Distrito Federal.

Após a revelação de que pessoas ligadas ao PT criaram páginas “fakes” assinadas por falsos personagens, com elogios ao governo do DF e críticas aos seus adversários, prosperou na Câmara Legislativa a fofoca de que o caso estaria sendo investigado pela PF, por influência do deputado-delegado, e que Ugo Braga estaria entre os que tiveram os sigilos telefônico e bancário quebrados. A intenção, inclusive de “fogo amigo”, era a de “queimar” o jornalista num momento importante: a iminente absorção da Secretaria de Publicidade pela Secretaria de Comunicação, chefiada por Braga.

O dirigente petista Abimael Nunes chefiava a Secretaria de Publicidade até a semana passada, quando Agnelo o transferiu para a coordenação de articulação política. E isso deflagrou uma verdadeira “corrida” pelo cargo. Abimael pertence à mesma facção petista do presidente da Câmara Legislativa, deputado Wasny de Roure, que teria ficado irritado com sua destituição. Somou-se à insatisfação de alguns petistas a tentativa dos opositores de provocar um novo desconforto político ao governador Agnelo usando o seu secretário de Comunicação. Para completar o quadro de interessados em desgastar a imagem do porta-voz, diversos grupos ligados a empresas, agências de propaganda, lobistas e até a políticos de outros partidos e de outros Estados, passaram a disputar o estratégico cargo de subsecretário de Publicidade.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email