Senado fará audiência pública sobre pedaladas fiscais

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou dois requerimentos de audiência pública sobre a continuidade das "pedaladas fiscais", as manobras contábeis atribuídas ao governo Dilma Rousseff em 2014, objetivo e debater a manutenção de atrasos nos repasses do governo federal aos bancos públicos em 2015, além de discutir a continuidade das irregularidades identificadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao longo deste exercício

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou dois requerimentos de audiência pública sobre a continuidade das "pedaladas fiscais", as manobras contábeis atribuídas ao governo Dilma Rousseff em 2014, objetivo e debater a manutenção de atrasos nos repasses do governo federal aos bancos públicos em 2015, além de discutir a continuidade das irregularidades identificadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao longo deste exercício
Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou dois requerimentos de audiência pública sobre a continuidade das "pedaladas fiscais", as manobras contábeis atribuídas ao governo Dilma Rousseff em 2014, objetivo e debater a manutenção de atrasos nos repasses do governo federal aos bancos públicos em 2015, além de discutir a continuidade das irregularidades identificadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao longo deste exercício (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, nesta terça-feira (20), dois requerimentos de audiência pública sobre a continuidade das "pedaladas fiscais", as manobras contábeis atribuídas ao governo Dilma Rousseff em 2014.

O primeiro deles, do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), propôs debate sobre a manutenção de atrasos nos repasses do governo federal aos bancos públicos em 2015.

O outro requerimento foi apresentado pelo senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e também tem objetivo de investigar se persistem as irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) nas contas do governo no ano passado.

Além de representantes da Advocacia-Geral da União (AGU), do Ministério do Planejamento, do Ministério Público de Contas e do TCU, deverão participar do debate o especialista em contas públicas Mansueto Almeida, o secretário-geral da ONG Contas Abertas, Gil Castelo Branco, e o consultor legislativo Waldery Rodrigues Júnior.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247