Senador protocola pedido de instalação da CPI da Eletrobras

Senador Hélio José (Pros-DF) quer a investigação de "possíveis favorecimentos a empresários a partir do acesso a informação privilegiada, bem como irregularidades de agentes públicos nos atos relativos à privatização da Eletrobras"; o Valor creditou o 247, ao mencionar uma reportagem do site colocando como "agente oculto da privatização" Oscar Alfredo Salomão Filho, ex-assistente da Diretoria Financeira e de Relações com Investidores da Eletrobras

Senador Hélio José (Pros-DF) quer a investigação de "possíveis favorecimentos a empresários a partir do acesso a informação privilegiada, bem como irregularidades de agentes públicos nos atos relativos à privatização da Eletrobras"; o Valor creditou o 247, ao mencionar uma reportagem do site colocando como "agente oculto da privatização" Oscar Alfredo Salomão Filho, ex-assistente da Diretoria Financeira e de Relações com Investidores da Eletrobras
Senador Hélio José (Pros-DF) quer a investigação de "possíveis favorecimentos a empresários a partir do acesso a informação privilegiada, bem como irregularidades de agentes públicos nos atos relativos à privatização da Eletrobras"; o Valor creditou o 247, ao mencionar uma reportagem do site colocando como "agente oculto da privatização" Oscar Alfredo Salomão Filho, ex-assistente da Diretoria Financeira e de Relações com Investidores da Eletrobras (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O senador Hélio José (Pros-DF) protocolou um pedido de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com o objetivo de apurar a privatização da Eletrobras, investigando "possíveis favorecimentos a empresários a partir do acesso a informação privilegiada, bem como irregularidades de agentes públicos nos atos relativos à privatização da Eletrobras". No pedido o parlamentar afirma no que Paulo Pedrosa, secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, "tem agido de forma a favorecer um grupo em detrimento do processo isento de desinvestimento da estatal". Ele não especifica qual seria esse grupo.

Além do secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, o senador também citou Oscar Alfredo Salomão Filho, ex-assistente da Diretoria Financeira e de Relações com Investidores da Eletrobras, que tem "ligação com grupos empresariais interessados no processo de venda pode comprometer os interesses da União", de acordo com informação divulgada pelo Valor Econômico.

O jornal creditou o Brasil 247, ao mencionar uma reportagem do site, publicada em setembro, colocando Oscar Salomão como "agente oculto da privatização". O Valor lembra, que, segundo a matéria do 247, Salomão estaria "agindo em defesa da Equatorial Energia, grupo privado ligado ao bilionário Jorge Paulo Lemann".

É necessário o apoio de ao menos 27 senadores para que a CPI seja criada. De acordo com a Mesa do Senado, o pedido protocolado pelo congressista tinha 40 assinaturas.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247