Senadora do PSL relata 'grito' de Flávio contra CPI do Judiciário

A senadora Juíza Selma (PSL-MT) disse que foi procurada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), para retirar sua assinatura da CPI da Lava Toga. A parlamentar contou que o filho de Jair Bolsonaro Flávio gritou com ela ao telefone. "Eu me recuso a ouvir grito, então desliguei o telefone", afirmou

Juíza Selma e Flávio Bolsonaro
Juíza Selma e Flávio Bolsonaro (Foto: Agência Senado)

247 - Signatárias do requerimento para criar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar membros do Supremo Tribunal Federal, a senadora Juíza Selma (PSL-MT) disse que foi procurada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho de Jair Bolsonaro (PSL), para retirar sua assinatura e inviabilizar a CPI da Lava Toga.

A parlamentar contou que Flávio gritou com ela ao telefone em ligação no último dia 21. "Eu me recuso a ouvir grito, então desliguei o telefone", disse.

Quetionada se Flávio chegou a pedir que ela retirasse a assinatura, ele foi taxativa: "Chegou". A entrevista foi concedida ao jornal Folha de S.Paulo.

"Davi Alcolumbre pediu também. Tenho recebido alguns recados até mais, digamos, chatos, tipo 'cuidado, você tem um processo, tira a assinatura'. Não vou tirar não. Prefiro perder o processo", acrescentou.

De acordo com a senadora, os parlamentares argumentam que uma CPI "vai trazer instabilidade para o Brasil porque vai mexer com as instituições, com a integridade delas etc". "Não acredito nisso".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247