Senadores ameaçam parar Previdência se governo não honrar 'compromissos'

Insatisfação é atribuída ao risco de a divisão dos recursos do leilão do petróleo ser alterada na Câmara. CCJ aprovou nesta terça-feira (1) o texto-base da reforma da Previdência

(Foto: Geraldo Magela)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Senadores da base do governo ameaçam parar a reforma da Previdência após a votação do primeiro turno da proposta no plenário do Senado, que deve ocorrer nesta terça-feira, 1º. 

Segundo os jornalistas Daniel Weterman, Amanda Pupo e Idiana Tomazelli, do Estado de S. Paulo, insatisfação é atribuída ao risco de a divisão dos recursos do leilão do petróleo ser alterada na Câmara. 

Nesta terça, a CCJ aprovou a proposta do relator, Tasso Jereissati, que deve ser votada em primeiro turno e passar pelo primeiro teste no plenário. A votação do texto em segundo turno, no entanto, ainda é dúvida. Parlamentares ameaçam adiar a conclusão da reforma na Casa se não tiverem demandas atendidas pelo governo. No calendário da medida, a votação do segundo turno seria feita no próximo dia 10.

"Agora, a água passou do umbigo porque não foi uma ameaça, foi um alerta da maioria dos senadores dizendo: nós vamos votar hoje pelo Brasil, mas se não acontecerem compromissos assumidos pelo governo, não haverá a votação no dia 10", disse o senador Major Olímpio.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247