Sergio Moro janta com Luciano Bivar, presidente do PSL em conflito com Bolsonaro

As peças de xadrez de Brasília se movem a uma velocidade vertiginosa. Depois de Bolsonaro declarar que o presidente de seu partido, o PSL, Luciano Bivar, "está queimado pra caramba", o ministro Sergio Moro é visto em jantar com o dirigente pesselista. A justificativa foi a de que era preciso discutir o pacote anticrime, em tramitação na Câmara

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As peças de xadrez de Brasília se movem a uma velocidade vertiginosa. Depois de Bolsonaro declarar que o presidente de seu partido, o PSL, Luciano Bivar, "está queimado pra caramba", o ministro Sergio Moro é visto em jantar com o dirigente pesselista. A justificativa foi a de que era preciso discutir o pacote anticrime, em tramitação na Câmara. 

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que "antes de Moro chegar, porém, Bivar teve uma conversa reservada com parte da bancada do PSL. O Estado apurou que houve um desagravo ao deputado, feito por seus colegas, que estranharam o ataque público de Bolsonaro ao chefe do partido. Muitos entenderam que o presidente da República deu sinais de que vai mesmo trocar de legenda."

A matéria ainda acrescenta que "no mesmo restaurante escolhido pelo PSL para o encontro com Moro estavam os procuradores Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, e Roberson Pozzobon, que também atua na força-tarefa. Os dois tiveram diálogos capturados por hackers vazados pelo site The Intercept Brasil e enfrentam um desgaste de imagem."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email