Sob pressão, ministério da Saúde confirma mais 904 mortes por Covid-19

Com os números divulgados neste sábado (6), o país chega a 672.846 casos confirmados, enquanto o número total de mortes provocadas pela doença é de 35.930

Sepultadores com trajes de proteção enterram vítima de Covid-19 no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo 22/05/2020
Sepultadores com trajes de proteção enterram vítima de Covid-19 no cemitério de Vila Formosa, em São Paulo 22/05/2020 (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik – O Ministério da Saúde confirmou 27.075 novos casos de COVID-19 e mais 904 mortes provocadas pela doença em seu boletim diário sobre o surto do novo coronavírus no Brasil.

Com os números divulgados neste sábado (6), o país chega a 672.846 casos confirmados da COVID-19, enquanto o número total de mortes provocadas pela doença é de 35.930, oficialmente. 

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro divulgou um comunicado do Ministério da Saúde sobre a decisão de omitir de seus boletins o número total de casos e de óbitos decorrentes da contaminação pelo novo coronavírus, explicando que, dessa forma, seria mais fácil "retratar o momento" do surto no país.

Pouco depois desse anúncio, o Centro de Recursos de Coronavírus da Universidade Johns Hopkins, uma das principais fontes sobre a pandemia, chegou a tirar os dados do Brasil de sua contagem mundial de pacientes e vítimas fatais do novo coronavírus, restabelecendo mais tarde. 

​Segundo dados da mesma universidade, os Estados Unidos seguem como o país mais afetado em todo o mundo pela pandemia da COVID-19, tanto em número total de casos (1.919.430) quanto em quantidade de mortes decorrentes da doença (109.791). O Brasil é o segundo em números de casos e o terceiro em número de mortes, logo atrás do Reino Unido (40.548).

Levantamento feito pelo portal G1 junto às secretarias estaduais de Saúde informa que os números oficiais sobre contaminados e mortos pelo novo coronavírus no Brasil seriam, na verdade, 676.494 e 36.044, respectivamente.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247