STF garante posse de aliado de Picciani na Câmara

Presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, assegurou ao deputado Átila Nunes (PMDB-RJ) o direito de ser empossado como suplente na vaga aberta pela licença do deputado Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ); ele recorreu ao Supremo em meio à briga pela liderança do PMDB, após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se negar a empossá-lo, dizendo que ele teria que abrir mão de seu mandato de vereador

Presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, assegurou ao deputado Átila Nunes (PMDB-RJ) o direito de ser empossado como suplente na vaga aberta pela licença do deputado Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ); ele recorreu ao Supremo em meio à briga pela liderança do PMDB, após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se negar a empossá-lo, dizendo que ele teria que abrir mão de seu mandato de vereador
Presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, assegurou ao deputado Átila Nunes (PMDB-RJ) o direito de ser empossado como suplente na vaga aberta pela licença do deputado Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ); ele recorreu ao Supremo em meio à briga pela liderança do PMDB, após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se negar a empossá-lo, dizendo que ele teria que abrir mão de seu mandato de vereador (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em decisão liminar, o presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, assegurou ao deputado Átila Nunes (PMDB-RJ) o direito de ser empossado como suplente na vaga aberta pela licença do deputado Ezequiel Teixeira (PMDB-RJ).

Nunes recorreu ao Supremo em meio à briga pela liderança do PMDB, após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se negar a empossá-lo, dizendo que ele teria que abrir mão de seu mandato de vereador. Ele é aliado do líder Leonardo Picciani (PMDB-RJ).

“Levando-se em consideração que suplente não é detentor de mandato, que o exerce apenas durante um período da legislatura, aparentemente, a ele não se aplicariam algumas das restrições constantes no texto constitucional”, disse o presidente do STF em seu despacho. A questão ainda será levada ao plenário.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247