STF indica descumprimento de Bolsonaro em apresentar plano de barreiras sanitárias em aldeias indígenas

Em 8 de julho, o ministro do STF deu 10 dias para o governo apresentar, pelo menos, um plano para a criação dessas barreiras para impedir a propagação do coronavírus

Índios ianomamis com máscaras de proteção facial em destacamento militar em Alto Alegre, Rondônia 01/07/2020
Índios ianomamis com máscaras de proteção facial em destacamento militar em Alto Alegre, Rondônia 01/07/2020 (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O gabinete do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), indicou na terça-feira, 21, o descumprimento do governo de Jair Bolsonaro em apresentar um plano de criação de barreiras sanitárias em terras indígenas onde há a presença de povos isolados, segundo o jornal O Globo. As barreiras sanitárias foram determinadas por Barroso para conter o contágio e as mortes por Covid-19 nas aldeias.

Em 8 de julho, o ministro do STF deu 10 dias para o governo apresentar, pelo menos, um plano para a criação dessas barreiras. O STF emitiu uma "certidão de ausência de manifestação".

A medida do Barroso foi tomada após, sob a alegação de que há um risco real de genocídio, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e seis partidos políticos entrarem com ação no STF para obrigar o governo federal a instalar e manter barreiras sanitárias para proteger terras indígenas diante do avanço da pandemia do novo coronavírus nos povos isolados. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247