STJ suspende julgamento de Arruda na Farra dos Panetones

O STJ suspendeu o julgamento contra o ex-governador José Roberto Arruda que estava previsto para ocorrer no TJ-DF na chamada Farra dos Panetones; a defesa tinha pedido ao STJ que o julgamento ocorresse somente após a divulgação do resultado da perícia feita nos gravadores usados por Durval Barbosa, o delator do esquema batizado de "Mensalão do DEM"; Arruda foi flagrado recebendo sacola com R$ 50 mil de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do DF; o ex-governador argumentou que o dinheiro seria usado para comprar panetones, que seriam distribuídos no natal para pessoas carentes  

O STJ suspendeu o julgamento contra o ex-governador José Roberto Arruda que estava previsto para ocorrer no TJ-DF na chamada Farra dos Panetones; a defesa tinha pedido ao STJ que o julgamento ocorresse somente após a divulgação do resultado da perícia feita nos gravadores usados por Durval Barbosa, o delator do esquema batizado de "Mensalão do DEM"; Arruda foi flagrado recebendo sacola com R$ 50 mil de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do DF; o ex-governador argumentou que o dinheiro seria usado para comprar panetones, que seriam distribuídos no natal para pessoas carentes
 
O STJ suspendeu o julgamento contra o ex-governador José Roberto Arruda que estava previsto para ocorrer no TJ-DF na chamada Farra dos Panetones; a defesa tinha pedido ao STJ que o julgamento ocorresse somente após a divulgação do resultado da perícia feita nos gravadores usados por Durval Barbosa, o delator do esquema batizado de "Mensalão do DEM"; Arruda foi flagrado recebendo sacola com R$ 50 mil de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do DF; o ex-governador argumentou que o dinheiro seria usado para comprar panetones, que seriam distribuídos no natal para pessoas carentes   (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - O Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspendeu o julgamento contra o ex-governador José Roberto Arruda que estava previsto para ocorrer nesta quinta-feia (1) no Tribunal de Justiça do Distrito Federal na chamada Farra dos Panetones. A defesa tinha pedido ao STJ que o julgamento ocorresse somente após a divulgação do resultado da perícia feita nos gravadores usados por Durval Barbosa, o delator do esquema batizado de "Mensalão do DEM". O ministro Reynaldo Soares Fonseca aceitou o pedido.

O ex-chefe do executivo local foi condenado a 3 anos, 10 meses e 12 dias de prisão, e tenta rever a sentença de maio de 2017. Essa foi a primeira condenação criminal do ex-governador no âmbito da operação Caixa de Pandora.

Em 2006, Arruda foi flagrado em vídeo enquanto recebia sacola com R$ 50 mil de Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do DF. O ex-governador argumentou que o dinheiro seria usado para comprar panetones, que seriam distribuídos no natal para pessoas carentes.

 

 

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247