Técnica de enfermagem atuava como agiota e foi morta por dívida de R$ 35 mil, diz polícia do DF

Corpo de Danyanne da Cunha Januário da Silva, de 35 anos, foi localizado nesta quarta-feira (3); dois suspeitos foram presos

www.brasil247.com - Danyanne da Cunha Januário da Silva
Danyanne da Cunha Januário da Silva (Foto: Arquivo pessoal)


247 - A Polícia Civil do Distrito Federal afirma que a técnica de enfermagem Danyanne da Cunha Januário da Silva, de 35 anos, atuava como agiota e foi morta ao cobrar uma dívida de um homem que atuava no esquema junto com ela. O corpo da vítima, que estava desaparecida desde 27 de julho, foi encontrado nesta quarta-feira (3). A reportagem é do portal G1.

Dois suspeitos, de 24 e 26 anos, foram presos por envolvimento com o crime. O corpo de Danyanne foi encontrado em um terreno na região de chácaras do Incra, em Brazlândia. A polícia suspeita que ela tenha sido morta com um tiro na cabeça, no mesmo dia do desaparecimento.

Segundo os investigadores, as apurações indicam que "a vítima estava envolvida com empréstimos financeiros. Os suspeitos eram captadores de clientes, de quem recebiam os valores e, posteriormente, repassavam para ela".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda de acordo com a polícia, um dos suspeitos passou a ter problemas com os recebimentos e acumulou uma dívida de mais de R$ 35 mil com a vítima. No dia do crime, Danyanne se encontrou com os criminosos para receber parte da dívida, no Riacho Fundo I.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante o encontro, segundo a polícia, um terceiro homem teria se aproximado com arma em punho, e simulado um assalto. Esse suspeito ainda não foi identificado pelos investigadores. Eles afirmam que, em seguida, a vítima foi levada ao Incra e executada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email