Técnicos do TSE erraram soma por R$ 4,4 milhões

"Os 'técnicos' somaram duas vezes a mesma despesa de R$ 4,4 milhões e, claro, apareceu diferença com o valor declarado", informa o jornalista Fernando Brito, sobre o parecer que foi manchete da Folha e ameaçou derrubar as contas da presidente Dilma Rousseff; "a ânsia de fazer politicagem expôs os técnicos da Justiça a este vexame primário"

"Os 'técnicos' somaram duas vezes a mesma despesa de R$ 4,4 milhões e, claro, apareceu diferença com o valor declarado", informa o jornalista Fernando Brito, sobre o parecer que foi manchete da Folha e ameaçou derrubar as contas da presidente Dilma Rousseff; "a ânsia de fazer politicagem expôs os técnicos da Justiça a este vexame primário"
"Os 'técnicos' somaram duas vezes a mesma despesa de R$ 4,4 milhões e, claro, apareceu diferença com o valor declarado", informa o jornalista Fernando Brito, sobre o parecer que foi manchete da Folha e ameaçou derrubar as contas da presidente Dilma Rousseff; "a ânsia de fazer politicagem expôs os técnicos da Justiça a este vexame primário" (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, do Tijolaço

O parecer do Ministério Público desmonta a patranha que vinham querendo fazer com as contas de campanha de Dilma Rousseff.

Recomeenda, claro, a aprovação das contas, com ressalvas de ordem meramente contábil.

“Não se constatou na presente prestação de contas doações de fontes vedadas ou utilização de recursos que não tenham sido contabilizados. Quer-se com isso dizer não ter se verificado a presença de vícios graves que apontassem a prática de ilícitos eleitorais”, agirmou o vice-procurador geral Eugênio Aragão.

Mas pior: com apenas 48  horas para verificar os vários volumes, já encontraram um erro monstruoso no “parecer técnico” em que se pedia a rejeição das contas.

Os “técnicos” somaram duas vezes a mesma despesa de R$ 4,4 milhões e, claro, apareceu diferença com o valor declarado.

Antes, a  MGI Senger Wagner, empresa internacional de auditoria contratada pelo PT para revisar suas contas, emitiu uma nota de fazer corar de vergonha os tais “técnicos”:

” a recomendação da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (do TSE) – ASEPA, no sentido da desaprovação da prestação de contas apresentada pela candidata Senhora Dilma Vana Rousseff ao cargo de Presidência da República, e seu Vice Presidente, Senhor Michel Miguel Elias Temer Lulia, e totalmente descabida, uma vez que a quantidade de erros materiais contida no Parecer Técnico Conclusivo tornou o mesmo praticamente imprestável para suportar tal recomendação .”

Segundo os auditores, como concluiria também a PGR, há ” no parecer técnico do TSE  “desde grosseiros erros de soma, até lançamentos em duplicidade de valores vultuosos e imprecisões conceituais graves”.

Como eu venho dizendo, a ânsia de fazer politicagem expôs os técnicos da Justiça a este vexame primário.

Um outro Ministro, se lhe mandam um trabalho porco assim, chama os técnicos e lhes passa um sabão.

Gilmar Mendes é capaz de chamar e lhes dar um bombom.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247